Mônica ganha amigos com HIV

Gibi tem função de conscientizar crianças e pais contra preconceito

Por bferreira

Rio - Dia Mundial da Luta Contra a Aids, celebrado domingo, inspirou a criação de dois personagens soropositivos na Turma da Mônica. A ideia, desenvolvida pela ONG Amigos da Vida, que atua em políticas públicas sobre HIV, foi abraçada pelo cartunista Mauricio de Sousa. O objetivo é lutar contra o preconceito social e garantir acesso à educação de crianças com a doença.

Os personagens Igor e Vitória serão apresentados em uma edição especial do gibi, de título ‘Amiguinhos da Vida’, que será lançada hoje no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), Centro, às 18h. “Eles passam a brincar com a turma, mostrando que é normal conviver com portadores do vírus”, explicou Mauricio.

A iniciativa partiu da percepção de que soropositivos eram discriminados por pais de outros jovens, receosos que os filhos se contaminassem ao interagir. “Queríamos mudar essa percepção. Não justifica marginalizar uma criança que teve a inocência roubada pela Aids”, disse o ativista Christiano Ramos, presidente da organização, ressaltando que pretende levar a publicação às escolas públicas do Rio de Janeiro.

O impacto social causado pela Aids será o principal ponto abordado no gibi. “Também queremos derrubar a ideia que soropositivos são debilitados. Aquele estigma dos anos 80 não existe mais”, disse Christiano, que convive com o vírus há 27 anos e garante ser possível ter vida e corpo normais, em crianças, inclusive.

TRATAMENTO AMPLIADO

Mauricio de Sousa classificou como ‘honra’ a chance de apoiar a causa. Acostumado a abraçar campanhas de conscientização, o cartunista se disse satisfeito com os resultados. “É preciso esclarecer sobre a Aids. Se tenho possibilidade espalhar esse tipo de mensagem sobre saúde pública, me sinto privilegiado em contribuir”, avalia.

Domingo, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou que o tratamento com antirretroviral será ampliado a todos os portadores da doença, e não apenas aos que têm sintomas. Além disso, teste caseiro para diagnóstico começará a ser vendido nas farmácias, em fevereiro de 2014. Desenvolvido pela Fiocruz, o exame é feito com a saliva e terá custo de R$8.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia