Unicef: violência na República Centro-Africana causou 480 mil deslocamentos

Nos últimos três dias, quando começaram os ataques de milícias contra civis, 400 pessoas foram mortas, segundo informou o chanceler francês, Laurent Fabius.

Por bianca.lobianco

Repúblico Centro-Africana - A violência na República Centro-Africana (RCA) levou aproximadamente 480 mil pessoas a se deslocar desde o início da crise no país, informou nesta segunda-feira o representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) na capital do país, Bangui, Souleymane Diabaté.

"Assistimos neste momento a deslocamentos em massa de população, composta maioritariamente por crianças, mulheres e pessoas vulneráveis, que têm carência de tudo. Isso se acentuou depois dos últimos ataques em Bangui e Bossangoa", disse.

Nos últimos três dias, quando começaram os ataques de milícias contra civis, foram mortas quase 400 pessoas, informou ontem (8) o chanceler francês, Laurent Fabius. A França lidera a força da Organização das Nações Unidas (ONU) que atua no país com o objetivo de restaurar a ordem.

A Operação Sangaris (nome de uma borboleta vermelha típica da região) mobilizou 1,6 mil militares franceses que se somaram aos 2,5 mil da força da União Africana no país. A missão da força internacional terá um período de atuação inicial de 12 meses.

Desde março, a RCA passa por uma crise causada pela substituição do então presidente François Bozizépelo líder da coligação rebelde de maioria muçulmana, Seleka, Michael Djotodia. Os conflitos se intensificaram na última semana.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia