Por bianca.lobianco
Arábia Saudita - Um juíz saudita sentenciou um ativista político a 300 chicotadas e quatro anos na prisão por pedir uma monarquia constitucional na Arábia Saudita, segundo o grupo ao qual ele pertence.
Omar al-Saeed é o quarto membro da Associação de Direitos Políticos e Civilidade Saudita a ser preso este ano, após o grupo emitir comunicados atacando a família que governa o país por causa de violações aos direitos humanos e pedir por uma democracia.
Publicidade
Saeed não teve representação legal na audiência secreta quando foi sentenciado, segundo a ACPRA em um comunicado.
"É apenas mais um exemplo preocupante da absoluta recusa de autoridades sauditas de admitir qualquer ativismo ou críticas às políticas sauditas ou a violações de direitos humanos", disse Adam Coogle, pesquisador do Oriente Médio da Human Rights Watch.
Publicidade
Um porta-voz do ministro da Justiça disse que não poderia comentar essa notícia ou confirmar sua veracidade.
O país aliado dos Estados Unidos é governado por uma família saudita, com o apoio de clérigos poderosos da escola ultra-conservadora de Wahhabi de islamismo sunita.
Publicidade
O rei Abdullah é o primeiro-ministro e ele monta o governo com príncipes nas pastas do Exterior, Interior, Defesa e Inteligência. A maioria dos príncipes de alto escalão tem muitos interesses comerciais.