Por julia.sorella

Brasília – O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou, nesta terça-feira, um reforço da segurança em todo o país na sequência de dois ataques a bomba ocorridos nas últimas 24 horas e que causaram a morte de pelo menos 30 pessoas.

O reforço da segurança será feito pelo comitê antiterrorista. A ordem foi dada depois de os investigadores russos terem anunciado que os dois atentados em Volgogrado estão ligados e foram perpetrados por terroristas suicidas.

Putin ordenou reforço da segurança em toda a RússiaEFE

Nesta segunda-feira, um ônibus elétrico explodiu em Volvogrado matando 15 pessoas, depois de, no domingo, um outro atentado suicida ter feito 18 mortos. Segundo a televisão russa, o ônibus elétrico – meio de transporte comum nas cidades russas – ficou completamente destruído na sequência da explosão. Ao todo já somam 33 vítimas fatais em menos de uma semana.

O porta-voz do governo russo, Vladimir Markin, confirmou ter-se tratado de um atentado terrorista. “Foi aberta uma investigação por atentado terrorista e tráfico de armas”, disse. Segundo o Ministério da Saúde da Rússia, ainda há 28 feridos da explosão do ônibus elétrico.

Bomba explodiu esta manhã no interior de um trolebus do sistema de transporte público da cidadeReuters

Volgogrado, antiga Estalinegrado, tem aproximadamente um milhão de habitantes e foi cenário em 21 de outubro do atentado mais grave ocorrido na Rússia nos últimos anos, quando um terrorista suicida oriundo do Cáucaso matou seis pessoas. Os atentados deixaram o governo russo em dúvida quanto à segurança dos Jogos Olímpicos de Inverno que serão realizados na cidade de Sochi e terão início em fevereiro. A cidade que sediará o evento fica a 690 km de onde ocorreu os atentados. O presidente russo, Vladimir Putin, pretende promover o país numa tentativa de mudar sua imagem perante à população russa.

Você pode gostar