Casal dos EUA é acusado de matar criança com consumo excessivo de refrigerante

Alexa, de 5 anos, foi forçada a beber 2 litros em duas horas como punição por ter consumido refrigerantes de sua madrasta

Por tamara.coimbra

Estados Unidos - Um casal do Tennessee enfrenta acusações de assassinato por supostamente punir a filha, de 5 anos, ao forçá-la a tomar quantidades excessivas de água e refrigerante de uva, levando à sua morte, disseram autoridades.

Consumo de líquidos em excesso fez nível de sódio de americana Alexa Linboom%2C 5%2C cair e seu cérebro incharReprodução


Alexa Linboom foi forçada a engolir os líquidos depois de ter bebido "um ou dois refrigerantes" que pertenciam à sua madrasta, disse o procurador distrital Berkley Bell à WJHL, afiliada da CNN.

"Ela supostamente foi forçada a consumir tanto líquido que isso fez seu nível de sódio cair e seu cérebro inchar", disse. Além de ter ingerido mais de dois litros de líquidos em cerca de duas horas, ela também sofreu outras formas de punição, relatou Bell. Ele, porém, não entrou em detalhes.

A criança ficou sem reação, e o casal a levou de carro ao hospital no dia 1º de janeiro de 2012. Dois dias depois, ela teve sua morte cerebral declarada e retirada dos aparelhos que a mantinham viva. Uma investigação de dois anos determinou que sua morte foi um homicídio causado por intoxicação aguda de ingestão de líquidos, disse o gabinete do xerife do condado de Hawkins nesta semana.

Randall Lee Vaughn, 41, e sua mulher, Mary Lavonne Vaughn, 58, receberam acusações de homicídio qualificado, de negligência em relação a uma criança e abuso infantil. Os dois, que residem em Surgoinsville, estão presos sob uma fiança de US$ 500 mil. Eles não entraram com um pedido de apelação. O julgamento está marcado para outubro.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia