Coreia do Norte cancela convite a diplomata dos EUA

Agência de notícias do país não relatou a razão que levou a revogação do convite

Por tamara.coimbra

Coreia do Norte - A Coreia do Norte revogou o convite para que um diplomata de alto escalão dos Estados Unidos fosse a Pyongyang buscar a libertação do missionário norte-americano Kenneth Bae, disse uma autoridade do Departamento de Estado norte-americano no domingo, acrescentando que o ativista pelos direitos humanos Jesse Jackson se ofereceu a ir ao país e tentar a libertação de Bae.

"Estamos profundamente desapontados com a decisão da RDPC (República Democrática Popular da Coreia, nome oficial do país) de - pela segunda vez - revogar o convite para que o embaixador (Robert) King viaje a Pyongyang para discutir a libertação de Kenneth Bae. A RDPC anunciou publicamente em maio de 2013 que não usaria o destino de Kenneth Bae como moeda de barganha política", disse a autoridade.

"A pedido da família de Bae, o reverendo (Jesse) Jackson se ofereceu para viajar a Pyongyang em uma missão humanitária concentrada na libertação de Bae. Apoiamos os esforços da família Bae e do reverendo Jackson para trazer Bae de volta para casa."

A KCNA, agência de notícias oficial da Coreia do Norte, não relatou o convite mais recente a King ou a razão que levou à sua revogação, mas disse na segunda-feira que um diplomata norte-americano aposentado chegou a Pyongyang. O diplomata aposentado em questão, Donald Gregg, foi embaixador dos EUA na Coreia do Sul nos anos 1980 e 1990 e defendeu o diálogo com a Coreia do Norte. Ele chegou ao país para uma visita a um grupo, disse a KCNA sem dar mais informações.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia