Corpo de mulher morta em casa há seis anos é encontrado em Michigan

Causa da morte ainda não foi descoberta. Os vizinhos não notaram nada de diferente, pois a mulher passava muito tempo viajando

Por julia.sorella

Washington - O corpo mumificado de uma mulher que morreu há seis anos na garagem de sua casa foi descoberto esta semana em Pontiac, no estado de Michigan, divulgou nesta sexta-feira a imprensa local.

O corpo estava no assento traseiro de seu veículo, estacionado na garagem da casa, com as chaves ainda no volante, embora não estavam na posição de ignição. A causa da morte ainda não foi descoberta. Um funcionário do banco da morta, que tinha executado sua hipoteca e tinha ficado com a propriedade da casa, encontrou o corpo mumificado ao entrar no imóvel para reparar um buraco do teto.

Durante anos, os pagamentos foram feitos no vencimento, porque estavam em débito automático, mas um dia acabaram os US$ 54 mil que tinha em sua conta e, por não responder às advertências, o banco ficou com sua casa.

Os vizinhos não se deram conta que algo estranho acontecia, porque, disseram, a mulher, que tinha cerca de 40 anos, era de ascendência alemã, vivia sozinha, viajava muito e passava longas temporadas na Alemanha. Um dos vizinhos inclusive continuava a cortar a grama de seu jardim.

Os investigadores do caso acreditam que a mulher está morta, pelo menos, desde 2008, ano em que a matrícula de seu veículo venceu, explicou o ajudante do condado de Oakland Mike McCabe ao jornal "Detroit Free Press".

O médico responsável pela autópsia, Bernardino Pacris, afirmou que a pele da mulher estava intacta, embora os órgãos internos tenham se decomposto, e que não havia sinais de ferimentos internos ou externos. Agora as autoridades esperam os resultados do exame toxicológico, que demorará entre quatro e seis semanas, para determinar a causa de sua morte.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia