Por julia.sorella

Nova York - A estilista L'Wren Scott, namorada do cantor Mick Jagger, que morreu na segunda-feira em seu apartamento de Nova York, planejava anunciar nesta quarta-feira o fechamento de sua marca, disse uma amiga.

"Soube depois da sua morte que estava planejando fechar sua empresa, com um anúncio nesta quarta-feira", assinalou Cathy Horyn, antiga crítica de moda do jornal "The New York Times" em um obituário publicado nesta qaurta no site do jornal. Como muitos pequenos estilistas, a namorada de Mick Jagger tinha "problemas para administrar seu negócio" por falta de capital, dificuldades de encontrar "bons gerentes" e, inclusive, demora para receber materiais de fábricas italianas, afirmou Cathy.

A crítica de moda disse que há dois anos a estilista já tinha problemas econômicos e estava "sobrecarregada" pela situação de sua empresa. Naquela época, ela aconselhou sua amiga a deixar o negócio por algum tempo. "Nossa amizade foi testada. Falei para ela que não valia a pena colocar em risco a saúde. Ela não gostou do conselho", contou Cathy, que conheceu a estilista nos anos 90 e desde então sempre foi muito próxima dela.

Mick Jagger e L'Wren Scott estavam juntos desde 2001Reuters

A crítica de moda lembrou que a situação da empresa continuou piorando e que a estilista teve que cancelar a apresentação de sua coleção de outono em Londres, em fevereiro, e voltou a pedir que fosse dada prioridade à sua saúde. Cathy disse ainda que "por mais dolorosa" que pudesse ser a decisão de fechar a empresa "não se deve tirar conclusões sobre seu estado de saúde" nem acreditar nos relatórios que falam que ela e Jagger teriam terminado o relacionamento.

"Ela esteve com alguns amigos no domingo à noite, e eles estavam muito preocupados com ela, mas ninguém pensava que pudesse fazer algo tão desesperado", acrescenta Cathy, para quem a morte de sua amiga é "inexplicável".

De acordo com a imprensa britânica, L'Wren Scott tinha problemas econômicos. Sua empresa, a LS Fashion Ltd., com sede em Londres, tinha registrado prejuízo nos últimos anos e estava com dívidas de US$7,6 milhões.

Você pode gostar