Por clarissa.sardenberg

Itália - A Marinha da Itália resgatou mais de 4.000 imigrantes em barcos superlotados no mar Mediterrâneo, ao sul da Sicília, nos últimos quatro dias, e várias outras operações de resgate ainda estão em andamento, informaram autoridades nesta sexta-feira.

O clima quente de primavera nesta semana deixou o mar calmo e aumentou o número de travessias ilegais. A maioria dos imigrantes paga mais de 1.000 dólares para fazer a travessia da Líbia para a Itália --e a União Europeia-- o que deixou centenas de mortos no ano passado.

Dois suspeitos de tráfico de pessoas foram detidos depois que o navio San Giusto e outra embarcação da Marinha italiana chegaram ao porto siciliano de Augusta, perto de Siracusa, nesta sexta, com mais de 1.500 imigrantes resgatados.

Marinha da Itália resgatou mais de 4.000 imigrantes em barcos superlotados no mar MediterrâneoReuters

Durante a operação, o San Giusto resgatou um refugiado morto e dois em estado crítico, disse o capitão Mario Mattesi à Reuters.

"As operações de resgate foram reforçadas, com cinco a oito navios, e todos estão operando na área de interesse", entre a Sicília e a Líbia, disse Mattesi.

A Itália é uma grande porta de entrada para os imigrantes que chegam à Europa pelo mar do norte da África. Essas entradas por mar mais do que triplicaram em relação ao ano anterior, impulsionadas pela guerra civil na Síria e conflitos na África.

Em outubro, ao menos 366 eritreus morreram afogados em um naufrágio perto da costa da ilha italiana de Lampedusa, que fica na metade do caminho entre a Sicília e a Tunísia. Mais de 200, principalmente sírios, morreram em outro naufrágio uma semana depois.

Você pode gostar