Boko Haram ataca três cidades no norte da Nigéria e deixa dezenas de mortos

Ataques aconteceram nas cidades de Amuda, Ngoshe e Attagara. Esse é mais um dos ataques do grupo islamita, que mantém como reféns mais de 200 meninas, sequestradas dentro de uma escola

Por julia.sorella

Nairóbi - O grupo islamita radical Boko Haram fez novos ataques contra três cidades no norte da Nigéria, que mataram dezenas de pessoas, publicou nesta quarta-feira a imprensa local. Os ataques aconteceram em Amuda, Ngoshe e Attagara, todas no estado de Borno, reduto político e operacional do Boko Haram.

No domingo a cidade de Attagara também foi atacada. Membros do Boko Haram invadiram uma igreja e mataram 12 pessoas. Segundo o jornal nigeriano "Punch", os moradores reagiram e enfrentaram os milicianos, e conseguiram matar pelo menos sete deles.

Acredita-se que este é o motivo dos insurgentes terem retornado na terça-feira em maior número disparando contra quem ainda estava nas cidades, e incendiando vários imóveis. "Muita gente tinha fugido temendo que voltassem, e eles vieram com muita fúria, queimando e arrasando todas as casas", contou uma testemunha ao jornal.

Imagem tirada de um vídeo mostra suposto líder da seita radical islâmica da Nigéria Boko Haram%2C Imam Abubakar ShekauReuters

Eles foram em seguida para Amuda e Ngoshe, onde também dispararam contra os moradores e incendiaram as casas. O número total de vítimas neste triplo ataque ainda não foi informado pelas autoridades nigerianas.

Nas duas últimas semanas, mais de 300 pessoas morreram em diferentes atentados da milícia radical, que há mais de um mês mantém como reféns mais de 200 meninas, sequestradas dentro de uma escola.

Segundo o presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, o Boko Haram já matou mais 12 mil pessoas e deixou outras oito mil feridas nos últimos cinco anos. Desde que a polícia matou em 2009 o então líder do Boko Haram, Mohammed Yousef, os radicais mantêm uma sangrenta batalha que se intensificou nos últimos meses.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia