Israel e Hamas aceitam novo cessar-fogo em Gaza

No domingo, três palestinos morreram, entre eles dois menores, em ataques israelenses

Por felipe.martins , felipe.martins

Gaza e Israel - Israel e o movimento islamita Hamas aceitaram neste domingo, de maneira oficial, a nova proposta de cessar-fogo de 72 horas feita pelo Egito, que entrou em vigor a partir da meia-noite local (18h de Brasília). Fontes governamentais israelenses afirmaram, em um breve comunicado, que “Israel respondeu positivamente à solicitação egípcia para um cessar-fogo de 72 horas”.

A agência oficial do Hamas, al-Ray, informou que a delegação palestina aceitou a fórmula egípcia e que Israel deve enviar, nas próximas horas, uma delegação ao Cairo com o objetivo de continuar a negociação indireta com as facções palestinas. O Ministério das Relações Exteriores do Egito emitiu um comunicado, ontem, pedindo que Israel e as facções palestinas respeitassem um cessar-fogo. Na nota, o Egito diz que a trégua é importante para reparar a infraestrutura destruída em Gaza e para que ambas as partes possam “retomar as negociações indiretas de maneira imediata e contínua”.

Ataque aéreo israelense provoca explosão ontem%2C em Gaza%3B bombardeios deixaram três palestinos mortos Reuters


Mais cedo, porém, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, tinha dito que a operação Limite Protetor continuaria até que os israelenses tivessem “tranquilidade” e chegou a afirmar aos seus ministros que não negociaria sob fogo. Ao longo do domingo, os bombardeios continuaram. Três palestinos morreram, entre eles dois menores, em ataques israelenses em Gaza. Também foram encontrados os corpos de dez pessoas entre os escombros de vários imóveis e vinte pessoas ficaram feridas em bombardeios israelenses em diferentes pontos da Faixa de Gaza, informou o porta-voz do Ministério da Saúde, Ashraf al Qedra. O confronto entre Israel e Hamas, iniciado em 8 de julho, já contabiliza a morte de dois mil palestinos e 67 soldados israelenses.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia