Polícia identifica agente envolvido na morte de jovem negro nos EUA

Michael Brown foi atingido por disparos mesmo levantando seus braços em sinal de rendição

Por tamara.coimbra

EUA - O chefe da Polícia de Ferguson, Thomas Jackson, divulgou nesta sexta-feira o nome do agente envolvido na morte do jovem negro Michael Brown, incidente que gerou uma onda de protestos e distúrbios raciais ao longo desta semana em Missouri e em todo os Estados Unidos. Em uma breve declaração à imprensa, Jackson identificou o agente como Darren Wilson, que trabalha há seis anos na polícia da cidade, embora não tenha confirmado se o mesmo é branco, como asseguram as testemunhas.

Jackson indicou que Wilson, cujo histórico disciplinar não possui nenhum registro, recebeu atendimento médico pelas lesões sofridas no choque com Brown e, agora, permanece sob licença administrativa remunerada. O chefe policial informou que, antes do incidente, o agente tinha recebido um aviso por rádio sobre o roubo de uma loja nas imediações, aparentemente como uma justificativa da decisão de Wilson de interceptar Brown.

O chefe da Polícia entregou aos jornalistas vários documentos, entre eles um relatório do incidente que identifica Brown como suspeito do roubo citado e imagens de uma câmera de segurança, as quais mostram um indivíduo agredindo o funcionário do estabelecimento para roubar cigarros.

As imagens, no entanto, não são claras, já que o indivíduo, vestido com uma camiseta branca, bermuda bege e um boné vermelho, aparece com o rosto encoberto. Por outro lado, os vídeos gravados por testemunhas do tiroteio mostram Brown com camiseta branca, bermuda bege e um boné vermelho.

O roubo, segundo o chefe da polícia de Ferguson, ocorreu 15 minutos antes do confronto entre o agente policial e Brown, que caminhava pelo meio de uma rua ao lado do amigo Dorian Johnson. O acompanhante de Brown disse à imprensa que o agente policial se aproximou e, com voz de comando, ordenou que os mesmos fossem para a calçada. Na sequência, o policial tentou colocar o jovem à força no veículo.

Johnson e outras testemunhas do incidente assinalaram que ouviram o barulho de um disparo e que, neste momento, Brown teria tentado se afastar. O agente, por sua vez, seguiu o suspeito, que estava desarmado, e efetuou vários disparos, inclusive depois que o jovem levantou seus braços em sinal de rendição.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia