Surto de dengue se espalha pelo Japão e preocupa autoridades

Ministério da Saúde japonês convoca reunião de emergencia para analisar a situação

Por paulo.gomes

Tóquio (Japão) - As autoridades do Japão lutam para controlar o primeiro surto de dengue no país desde 1945, após ser confirmado neste sábado que a doença se propagou para fora do parque Yoyogi, em Tóquio, onde foram encontrados mosquitos portadores do vírus. O Ministério da Saúde convocou uma reunião de emergência para abordar a situação ao ser revelado que duas pessoas infectadas não tinham saído recentemente do país nem visitado o parque Yoyogi, origem do surto, informou a emissora estatal "NHK".

Até o momento, foram registrados 70 casos da doença. Todas as outras pessoas contaminadas tinham visitado o parque Yoyogi ou seus arredores no mês passado, por isso as autoridades acreditavam que poderiam conter novos contágios com medidas como o fechamento do local e a fumigação de zonas úmidas, onde se reproduzem os mosquitos tigre (Aedes albopictus), que transmitem o vírus da dengue.

Os casos mais recentes, no entanto, foram registrados em dois homens que foram picados no parque Shinjuku Chuo, a dois quilômetros de Yoyogi e em outra área da cidade, o que demonstra que o vírus se propagou devido ao deslocamento dos mosquitos, segundo um porta-voz do Ministério da Saúde. Embora as autoridades tenham pedido calma desde o anúncio dos primeiros casos, no final de agosto, e afirmado que não há perigo de uma epidemia, a preocupação vem aumentando conforme os novos casos vão sendo registrados.

Por enquanto, as autoridades de Tóquio mantém fechada a maior parte do parque Yoyogi, um dos mais movimentados da cidade, situado no distrito de Shibuya e próximo a zonas turísticas como o santuário Meiji e os bairros comerciais de Omotesando e Harajuku. Além disso, foram instalados placas de advertência em Yoyogi e Shinjuku Chuo, nas quais se recomenda aos transeuntes que utilizem roupas que cubram braços e pernas para se proteger das picadas de mosquitos. Além disso, os lagos e canais de ambas as localidades continuam sendo dedetizados.

A venda de inseticidas, repelentes de insetos, redes e outros produtos anti-mosquitos disparou em Tóquio, de acordo com a "NHK". Algumas das 70 pessoas contaminadas tiveram que ser hospitalizados devido as fortes febres, intensas dores de cabeça e outros sintomas, mas todos eles evoluem favoravelmente, segundo o porta-voz do Ministério da Saúde. O governo pede para que todas as pessoas com febre ou mal-estar irem para um hospital para comprovar se estão com dengue. As autoridades reiteraram que o quadro da doença só atinge um nível crítico entre 1% e 5% dos infectados.

No Japão, são registrados a cada ano 200 casos de cidadãos infectados com o vírus da dengue durante viagens ao exterior, mas nos últimos 70 anos não tinha sido detectado nenhum contágio doméstico. O primeiro caso desde então foi registrado em 27 de agosto e atingiu uma adolescente, que teria contraído o vírus através de um mosquito que picou antes outra pessoa, que por sua teria contraído a doença no exterior, segundo a hipótese do Instituto Nacional de Epidemiologia. O vírus do dengue é transmitido pelo mosquito da febre amarela (Aedes aegypti) e o mosquito tigre (Aedes albopictus), que é muito comum no Japão.

A cada ano são registrados entre 50 e 100 milhões casos de contágio em todo o mundo e 25 mil mortes provocadas pela doença, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia