Artistas provocam polêmica ao criar Barbie Virgem Maria e Ken Jesus Cristo

Buda e Iemanjá também ganharam versões plásticas

Por clarissa.sardenberg

Argentina - Uma dupla de artistas plásticos está causando polêmica na Argentina por transformar 33 símbolos religiosos em versões inusitadas de bonecos de plástico. Entre eles, estão as versões Barbie Virgem Maria e Ken Jesus Cristo. Buda, Iemanjá e Maria Madalena também ganharam as suas. As obras fazem parte da série "Barbie - A Religião de Plástico", dos argentinos Pool & Marianella.

Barbie da Nossa Senhora da Aparecida criada pelos artistas Pool Paolini e Marianela PerelliReprodução Facebook / Pool%26Marianela

"Em um mundo que nos valoriza por pensar, agir e sentir de forma igual, Marianela e Pool se rebelam, mostrando-se ao mundo de forma diferente. Eles usam o humor para enfatizar a sua desconexão com o universo histórico, político e religioso", diz a apresentação da dupla em sua página no Facebook, revelando um caráter questionador.

Ken Jesus Cristo tem abdome definido Reprodução Facebook / Pool%26Marianela

O trabalho dos artistas, no entanto, já é criticado em redes sociais por diversos religiosos, que apontam para a característica satírica e crítica da obra.

Os maiores ícones das mais tradicionais religiões mundias, como cristianismo, islamismo, budismo e outras, estarão disponíveis em exposição ao público a partir de outubro, na galeria Popa, em Buenos Aires.

"Maria Madalena%3A Santa esposa ou prostituta%3F"%2C diz questionamento na caixa da boneca barbieReprodução Facebook / Pool%26Marianela
'Buda plástico' é bem diferente do que estamos acostumados a ver Reprodução Facebook / Pool%26Marianela
Iemanjá%2C segundo Pool %26 MarianelaReprodução Facebook / Pool%26Marianela


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia