Dilma: um olho no novo governo, outro na balança

Dieta da presidenta corta carboidratos e doces e inclui caldo quente antes da comida

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - A montagem do novo ministério não é a única preocupação da presidenta Dilma Rousseff neste final de ano. Às vésperas do segundo mandato, a petista corre contra o tempo para estar fininha em 1º de janeiro, quando será reempossada. Para isso, Dilma começou dieta rigorosa, retirou doces e carboidratos do seu cardápio e passou a tomar um caldo quente antes das refeições. A presidenta já perdeu 4 quilos e quer reduzir seu peso ainda mais até a posse.

O regime presidencial é baseado no método do psicoterapeuta argentino Máximo Ravenna. Empolgada com a perda de peso, Dilma teria inclusive indicado a dieta para amigas, segundo a colunista Mônica Bergamo, da ‘Folha de S. Paulo’.

Dilma na campanha (à esquerda) e Dilma esta semana%3A os quilos a menos aos poucos fazem diferençaAndré Mourão / Agência O Dia (esq.) e Reuters (dir.)

Apesar do sucesso do regime, a nutricionista do Equilibrium Spa da Mente, Carla Cotta, critica a restrição aos carboidratos. “Eles são a primeira reserva energética. Sem isso, o corpo usa músculo como fonte de energia. Ela vai perder massa muscular”, afirma.

Por outro lado, a especialista aconselha o corte de doces, pois eles têm efeito inflamatório. Além disso, açúcar aumenta o percentual de gordura e o risco de doenças cardíacas. Já o caldo ajuda na sensação de saciedade, fazendo a pessoa comer menor. “Por ser quente, ele também eleva a temperatura corporal e queima calorias”, garante Carla Cotta.

Entre acertos e erros, a nutricionista aponta que o fundamental é não abandonar a dieta depois de alcançar o objetivo. “A tendência de quem consegue perder peso rápido é recuperar tudo ou ganhar até mais alguns meses depois”, alerta.

Para evitar o efeito sanfona, a dica é voltar a comer carboidratos com moderação e estar atento ao consumo de gorduras. “O cérebro precisa delas para funcionar, mas é preciso consumir gorduras boas, como abacate e castanhas, e evitar frituras”, diz.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia