Mais Lidas

Crianças cariocas estão mais gordas do que as paulistas

Entre os moradores de São Paulo, porém, hábitos alimentares são piores, diz estudo

Por bferreira

Rio - As crianças e os adolescentes cariocas estão mais gordinhos do que os paulistas. É o que mostra pesquisa do programa Meu Pratinho Saudável, com voluntários das duas capitais. Aqui, mais da metade dos participantes estava acima do peso. Já em São Paulo, a taxa não chega a 30%.

Foram medidos peso, altura, índice de massa corporal (IMC) e circunferência abdominal. E foi justamente este último item que mais chamou a atenção de Elisabete Almeida, coordenadora do programa Meu Pratinho Saudável. Segundo ela, 80% dos voluntários tinham a medida da cintura acima do ideal. O fenômeno foi notado mesmo em pessoas que não têm sobrepeso.

A especialista explica que essa medida alterada representa gordura visceral acumulada, que é um dos primeiros sinais de risco de hipertensão e doenças cardíacas. “Este é um fato alarmante. Crianças com gordura abdominal acumulada chegam à fase adulta com mais risco de doenças”, alerta.

Apesar de a taxa de sobrepeso ser menor em São Paulo, os hábitos alimentares dos pequenos daquela cidade são piores. Eles consomem, regularmente, mais fritura e doces do que os cariocas. Para Elisabete, uma explicação para o dado é a prática de atividade física mais frequente entre as crianças e adolescentes paulistas.

O levantamento foi feito na comunidade Cidade de Deus, em Jacarepaguá, e no bairro Paraisópolis, na zona sul paulistana, em outubro do ano passado. Foram avaliadas cerca de 350 pessoas, de 4 a 18 anos, em cada cidade.

Ainda segundo Elisabete, o maior consumo de alimentos pouco saudáveis está relacionado ao aumento de renda das famílias estudadas. “É uma questão de status consumir itens como refrigerante e congelados. Tem ainda uma série de propagandas que estimulam o consumo desse tipo de alimento”.

Pais devem ser exemplo de saúde

Para mudar o hábito dos pequenos, Elisabete diz ser fundamental o bom exemplo dos responsáveis. “Os pais não podem querer educar se eles estão com sobrepeso. Toda família com alimentação saudável”, aponta.

O programa Meu Pratinho Saudável, desenvolvido pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP em parceria com a LatinMed Editora em Saúde, visita comunidades de Rio e São Paulo para mostrar as crianças como adotar bons hábitos. Elas participam de oficinas, acompanham o preparo de alimentos saudáveis e levam cartilhas com receitas para fazer em casa.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia