Mais Lidas

Mulher-bomba mata um policial e deixa outro ferido em Istambul

Explosão ocorreu em uma delegacia da cidade, localizada em frente à praça do Museu Aya Sofya, importante destino turístico

Por paulo.lima

Turquia - Uma mulher-bomba detonou explosivos nesta terça-feira dentro de uma delegacia de polícia no bairro de Sultanahmet, centro histórico de Istambul, matando um policial e ferindo outro, afirmaram o governador da cidade e a mídia turca. A mulher falou inglês quando entrou no prédio, mas a nacionalidade e a identidade dela eram desconhecidas, disse o governador, Vasip Sahin.

Explosão interditou a rua%2C um importante centro turístico de IstambulReuters


A mídia turca disse que um dos feridos morreu por complicações dos ferimentos. Não houve reivindicação imediata de responsabilidade, mas a explosão ocorreu menos de uma semana depois que o grupo de extrema-esquerda DHKP-C disse que estava por trás de um ataque com granadas contra a polícia perto do gabinete do primeiro-ministro em Istambul.

A polícia isolou a rua onde o ataque desta terça-feira aconteceu, em frente à praça do museu Aya Sofya e da Mesquita Azul e perto da Cisterna da Basílica, que estão entre os principais destinos turísticos de uma das cidades mais visitadas do mundo. O transporte público voltou a funcionar depois de ser suspenso brevemente e alguns turistas, enfrentando neve pesada, ainda caminhavam ao redor da praça histórica em Sultanahmet.

A Turquia enfrenta outras ameaças contra a segurança do paísReuters


O DHKP-C havia alertado sobre futuros atentados após o ataque de quinta-feira passada, em que um homem carregando uma arma automática foi detido próximo ao Palácio Dolmabahce da era otomana. O grupo também foi responsável por um atentado suicida na embaixada dos Estados Unidos no ano passado, bem como ataques a postos policiais turcos.

A Turquia enfrenta outras ameaças de segurança. Alguns dos milhares de combatentes estrangeiros que se juntaram às fileiras dos militantes do Estado Islâmico na Síria e no Iraque entraram nesses territórios via Turquia, aumentando a preocupação de que poderiam voltar e cometer ataques em solo turco.

Também houve confrontos no sudeste, predominantemente curdo, da Turquia nas últimas semanas, entre os membros do partido islâmico curdo e jovens ligados ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão, considerado ilegal, que também fez ataques no passado.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia