Mais Lidas

François Hollande declara que franceses terão que ser 'cautelosos'

Presidente da França fez uma declaração após os atentados simultâneos que terminaram na morte de três terroristas

Por paulo.lima

Rio - Após os sequestros simultâneos que deixaram três terroristas mortos na França, o presidente François Hollande fez uma declaração sobre as ações dos policiais. O líder francês também elogiou a ação das forças de segurança e disse que as ameaças no país ainda não acabaram.

Sobre o alerta de terrorismo na França, Hollande afirmou que a segurança no país foi reforçada, porém é necessário que os franceses sejam "cautelosos". O presidente francês também fez um apelo a favor da união e disse que a França deve continuar "implacável" na luta contra o racismo e a islamofobia.

Presidente francês também elogiou a ação dos policiais e fez um apelo contra a islamofobiaEfe


Para evitar que a rejeição de muçulmanos se prolifere em território francês, Hollande fez um pedido para que os franceses rejeitem o anti-semitismo e o racismo. Também declarou que os "fanáticos" responsáveis pelos ataques "não têm nada a ver" com a religião muçulmana. "Na verdade, foi cometido um ato antissemita terrível", disse ele, se referindo ao sequestro no mercado em Paris.

Apesar da operação bem sucedida, o presidente francês disse que o país "enfrentou", mas “ainda não pôs fim, às ameaças de que é alvo”. “A França, apesar de estar consciente de as ter enfrentado, apesar de saber que pode contar com as forças de segurança, com homens e mulheres capazes de atos de coragem e bravura, ainda não acabou com as ameaças”, disse Hollande.

Por fim, Hollande agradeceu à solidariedade internacional e convocou a todos os franceses a participarem da manifestação em homenagem às vítimas do atentado à revista Charlie Hebdo, que irá acontecer neste domingo. A manifestação havia sido convocada logo após o atentado contra a revista satírica Charlie Hebdo.

Segundo informações da agência de notícias EFE, o presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, irá participar das manifestações para expressar a solidariedade da Espanha. "Estarei em Paris neste domingo apoiando o povo francês. Espanha com França contra o terrorismo e pela liberdade", escreveu Rajoy em uma rede social.

Irão participar também da manifestação os primeiros-ministros da Alemanha, Angela Merkel, da Itália, Matteo Renzi e da Grã-Bretanha, David Cameron. O presidente americano, Barack Obama, declarou apoio aos franceses e afirmou que a "ameaça imediata" foi resolvida na França, mas é necessário permanecer vigilante. Também disse que os EUA estarão ao lado da França.

Com informações da Agência Brasil

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia