Estados Unidos vão restaurar filmes cubanos anteriores à revolução

Acordo entre entidades norte-americanas e cubanas é inétido

Por karilayn.areias

Los Angeles - Representantes do arquivo de filmes da Universidade da Califórnia (Ucla), em Los Angeles, nos Estados Unidos, anunciaram neste domingo a assinatura de acordo com a Cinemateca de Cuba. O objejtivo é restaurar películas daquele país anteriores à revolução. Trata-se de um acordo inédito entre entidades norte-americanas e cubanas, possibilitado pela recente normalização de relações entre os dois países.

"O cinema cubano posterior à revolução é muito conhecido, mas nossa associação à Cinemateca de Cuba ajudará a restaurar as ricas tradições cinemáticas do cinema clássico cubano pré-revolucionário, para que voltem a fazer parte da história", disse o diretor do arquivo cinematográfico do Ucla Television Archive, Jan-Christopher Horak.

O responsável pela Cinemateca de Cuba, Luciano Castillo, realizou, esta semana, reuniões em Los Angeles para acertar a colaboração, de modo a preservar filmes produzidos entre 1932 e 1960 e que precisam ser restaurados antes que se percam.

O acordo faz parte de um programa mais vasto de recuperação de filmes antigos na América Latina, abrangendo produções do México e da Argentina. Os especialistas norte-americanos estão em fase de avaliação de materiais para decidir que filmes podem ser restaurados. No caso de Cuba, foram identificadas como prioritárias as películas "Casta de roble" (1954), do realizador Manolo Alonso, e "La Virgen de la Caridad" (1930), considerado o único filme mudo cubano ainda guardado.

As cópias das películas restauradas incluirão legendas em inglês para apresentação internacional.

O Ucla Television Archive é o segundo maior arquivo de imagens em movimento dos Estados Unidos. Superado apenas pela Biblioteca do Congresso, é um centro de referência para o restauro de filmes.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia