'Donos de casa' têm mais casos amorosos

Pesquisa analisou infidelidade conjugal

Por bferreira

Rio - Ele não trabalha fora, depende financeiramente da mulher, mas é muito dedicado a ela, aos filhos e ao serviço doméstico. O outro tem agenda cheia, mas garante vida confortável em casa: ganha entre 70% e 100% da renda familiar. Os dois parecem ótimos maridos. Mas, segundo pesquisa da Universidade de Connecticut (EUA), os perfis são de homens com mais de chances de trair a esposa que os demais.

Os que ficam em casa são os ‘piores’. “Sexo extraconjugal permite que os homens submetidos a uma ameaça à masculinidade se envolvam em comportamentos associados à masculinidade”, diz Christin Munsch, socióloga da universidade. “Culturalmente há a ideia de que o homem é provedor”, acrescenta Flavia Nunes, psicoterapeuta transpessoal. Segundo ela, depender financeiramente da companheira seria uma ‘humilhação’. O índice de homens sustentados que traem seria 15% maior.

E os maridos que ganham muito? A busca deles para se afirmar também acontece. “Ele quer se sentir poderoso”, afirma Flavia. “Eles estão conscientes de que suas esposas são dependentes e podem pensar que elas não vão deixá-los, mesmo que eles traiam”, relata Christin. A pesquisa, com 2.750 pessoas, verificou que mulheres sustentadas traem 5% a mais. Já as que ganham muito, traem bem menos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia