Atraso no desenvolvimento pode indicar defeito na visão

Crianças com dificuldades, como a de engatinhar, podem ter hipermetropia ou miopia

Por O Dia

Rio - Mais comuns na idade adulta, problemas de visão, como miopia e astigmatismo, também podem atingir crianças e bebês. É o caso da pequena Piper Verdusco, 11 meses, diagnosticada com sete graus de hipermetropia (dificuldade em enxergar de perto) em um olho, e cinco no outro. Um vídeo com a menina usando óculos pela primeira vez, e conseguindo ver sua mãe e seu pai, emocionou internautas, com com mais de 400 mil visualizações.

“Peguei os óculos. Saímos para comer e colocamos nela. A reação dela derrete meu coração”, escreveu a mãe da menina, Jessica Sinclair, que mora em Ohio, nos Estados Unidos. Ela explicou que a suspeita do problema começou porque Piper estava demorando a começar a engatinhar: geralmente os bebês já engatinham por volta dos 8 ou 9 meses, e a pequena já tinha 11.

Piper%2C 11 meses%2C primeiro reluta em colocar os óculos. Quando enfim experimenta uma visão perfeita%2C vê a mãe e o pai e não para mais de sorrir Reprodução

“Existem marcos no desenvolvimento: engatinhar, ficar de pé, andar, falar. Se tiver um atraso, vale a pena fazer exames”, recomenda Daniel Simões, oftalmologista do Hospital Oftalmológico Santa Beatriz. Outro indicativo é a capacidade dos pequenos de seguir objetos com os olhos. “Mostre um brinquedo, que não faça barulho, e veja se a criança segue”, sugere Daniel.

Os problemas podem ser diagnosticados em crianças que ainda não sabem falar por meio de teste de refração, em que o médico avalia o grau do olho através de lentes e de um aparelho chamado retinoscópio. O especialista vê como o olho reage e, por isso, não é necessário que o paciente relate sua dificuldade.

O oftalmologista acrescenta que muitos crianças têm um defeito na visão, mas não precisam usar óculos. Isso porque, quanto mais nova a pessoa, maior a qualidade de acomodação do olho, ou seja, a transição entre a visão de longe e a de perto. Se os óculos forem necessários, existem materiais específicos, mais resistentes, para as crianças.

Além disso, problemas mais sérios, relacionados à estrutura do olho, como a catarata, podem ser detectados pelo Teste do Olhinho, que deve ser realizado nos primeiros dias de vida. “É fundamental para uma criança recém-nascida”, garante Daniel.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência