Imigrantes enfrentam 'campo de guerra' em fronteira da Macedônia

Pai desesperado tentava proteger filho enquanto policiais lançavam bombas de efeito moral em cerca de 2 mil pessoas

Por clarissa.sardenberg

Macedônia - A Polícia da Macedônia jogou bombas de efeito moral contra os refugiados que tentavam atravessar a passagem fronteiriça com a Grécia, nesta sexta-feira, e várias pessoas ficaram feridas por estilhaços durante o confronto. Entre as fortes imagens, se destacou um homem tentou proteger o filho pequeno e fazer um apelo aos policiais. Nesta quinta-feira o governo decretou estado de emergência nas fronteiras por causa da entrada em massa de imigrantes vivida pelo país.

Fotogaleria: Polícia lança bombas de efeito moral e imigrantes ficam feridos 

Pai tentou apelar aos policiais da Macedônia que parassem com ação contra imigrantes Reuters

Segundo a agência de notícias grega "AMNA", os agentes tentaram dispersar cerca de 2.000 imigrantes, em sua maioria refugiados, bloqueados em Eidomeni, a passagem fronteiriça do sul da Antiga República Iugoslávia da Macedônia. Segundo números oficiais, mais de 40 mil imigrantes ilegais chegaram na Macedônia nos dois últimos meses.

A imprensa local informa que pelo menos 1.500 deles estão à espera de poder atravessar a passagem fronteiriça de Eidomeni. A fronteira, segundo a imprensa, está bloqueada desde quarta-feira, por isso que grupos de mulheres, homens e crianças resistem às altas temperaturas sem ter um local para se alojar nem acesso aos serviços básicos. Nessa região só trabalham os voluntários das ONGs que lhes fornecem comida e assistência médica básica.

Pai tenta proteger filho de confronto entre policiais e imigrantes na fronteira da Macedônia com a Grécia Reuters
Imigrantes são cercados pela polícia da Macedônia na fronteira do país com a Grécia Reuters

*Com informações da EFE e Reuters


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia