Chile dará refúgio a famílias sírias afetadas por guerra civil

Governo pôs em ação plano conjunto envolvendo ministérios das Relações Exteriores e do Interior

Por gabriela.mattos

Santiago - O governo chileno afirmou nesta terça-feira que acolherá famílias de refugiados da Síria, afetadas pela guerra civil no país e que se encontram na Europa, onde ocorre uma grave crise migratória devido à chegada de um enorme fluxo de imigrantes.

Com o objetivo de concretizar a chegada das famílias sírias no curto prazo, o governo chileno pôs em ação um plano conjunto envolvendo os ministérios das Relações Exteriores e do Interior, entre outros órgãos públicos.

O governo chileno disse já ter dado início ao exame de antecedentes necessário para acolher as famílias sírias o mais rápido possível.

“O Chile tem experiência nesse assunto... A decisão política foi tomada pela presidente e se cumprirá o mais rápido possível”, disse o chanceler chileno, Heraldo Muñoz.

O governo informou que organismos nacionais e internacionais trabalham para determinar os serviços que o Chile deve prover aos futuros refugiados, de modo a garantir uma acolhida adequada no país.

O chanceler estimou que cerca de 100 famílias podem ser inicialmente recebidas na condição de refugiados.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia