Chile decreta alerta de tsunami após forte terremoto

Tremor chegou a 8,3 graus de magnitude e foi sentido em municípios de São Paulo

Por gabriela.mattos

Chile - As autoridades do Chile decretaram nesta quarta-feira um alerta de tsunami nos mais quatro mil quilômetros de litoral após o terremoto de magnitude 7,2 na escala Richter no centro do país, enquanto o Serviço Sismológico dos EUA (USGS, sigla em inglês) aumentou a intensidade do tremor para 8,3 graus de magnitude. Até o início da madrugada, havia informação de cinco mortos e dezenas de feridos.

O Serviço Hidrográfico e Oceanográfico da Armada (SHOÁ) emitiu o alerta de tsunami em todo o setor litorâneo do Chile e ordenou aos navios que se afastem dez milhas náuticas do litoral. De acordo com o Centro Nacional de Sismologia da Universidad de Chile, o sismo foi sentido às 19h54, com epicentro localizado 36 quilômetros ao oeste da cidade de Canela e a 25 quilômetros de profundidade.

Ondas de tsunami podem ocorrer ao longo das costas de Chile e Peru nas próximas horas, disse o Centro de Alertas de Tsunamis do Pacífico. De acordo com o centro de alertas do Pacífico, se ondas de tsunami chegarem ao Havaí, a hora mais cedo que elas podem atingir o Havaí é 3h06 (horário local, 10h06 em Brasília) desta quinta-feira.

Pelo menos dez réplicas, algumas de magnitude 6, foram sentidas após o forte terremoto que estremeceu o país desde o norte do deserto do Atacama até a região da Araucanía, pelo sul.

No Brasil, o tremor também foi sentido em municípios como Aparecida e Embaré, em Santos,  São Paulo, na noite desta quarta-feira. Segundo o Corpo de Bombeiros, diversos moradores já ligaram para registrar o tremor, mas não sabiam de onde estava vindo. 

Com informações da EFE

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia