Grupo que venderia material radioativo ao Estado Islâmico é interceptado

Segundo autoridades, quantidade seria capaz de atingir diversas cidades e não há como saber se já foi comprado

Por clarissa.sardenberg

Autoridades europeias impediram a venda de césio, um elemento altamente radiativo, a jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI, ex-Isis) na Moldávia, na Europa Oriental. A quantia, que não foi informada, seria capaz de atingir diversas cidades. Segundo investigações da agência AP, é comum que organizações criminosas ligadas à membros da antiga KGB ofereçam o material nuclear no mercado negro, especialmente na Moldávia.

Estado Islâmico estava pronto para comprar material radiotaivo na Europa OrientalReprodução Internet

A tentativa de venda, realizada em fevereiro, foi impedida por autoridades do Leste Europeu em parceria com o FBI. Outras quatro tentativas de vender o elemento a grupos extremistas do Oriente Médio foram interceptadas anteriormente nos últimos cinco anos.

"Podemos esperar mais casos parecidos", disse o policial Constantin Malic. "Enquanto contrabandistas acharem que podem ganhar muito dinheiro sem serem pegos, eles continuarão a fazer isso". Autoridades policiais da Moldávia destacaram que não é possível saber se o elemento foi comercializado em outras ocasiões e qual quantidade estaria nas mãos dos terroristas.



Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia