Por clarissa.sardenberg

Coreia do Sul - O Supremo Tribunal da Coreia do Sul confirmou nesta quinta-feira a sentença de prisão perpétua para o capitão da balsa Sewol, cujo naufrágio em 2014 resultou em 304 mortes, a maioria estudantes de ensino médio, em uma das maiores tragédias na história do país.

Lee Joon-Seok levado por policiais em 2014EFE

O Supremo sul-coreano confirmou que Lee Joon-seok, de 70 anos, é culpado de assassinato.

Joon-seok não cumpriu deliberadamente com suas responsabilidades como capitão durante o incidente ocorrido em 16 de abril de 2014 no litoral sudeste do país, segundo a sentença.

Assim, a Justiça desprezou o recurso apresentado pelo capitão contra a decisão divulgada em abril por um juiz do Alto Tribunal de Gwangju, no sudoeste da Coreia do Sul.

De acordo com a decisão anterior, o capitão se mostrou passivo durante os momentos mais cruciais, já que não deu a ordem de evacuação quando deveria. Ele também não realizou esforços para resgatar os passageiros.

"Ele acabou prematuramente com a vida dos estudantes", concluiu então o juiz.

Há imagens do momento em que o capitão abandona a embarcação naufragada, deixando centenas de passageiros para trás sem se preocupar com a segurança dos mesmos. 

Capitão da barca Sewol deixando a embarcação sem levar em conta a segurança de seus passageirosReprodução Internet


Você pode gostar