Dois anos após projeto para regularizar vans, só um terço está em operação

Previsão da prefeitura é que todo o município esteja adequado ao novo sistema até o fim deste ano

Por daniela.lima

Rio - Dois anos após a implantação do Sistema de Transporte Público Local (STPL) no Rio, das 136 linhas criadas para regularizar as vans na cidade, apenas 43 estão em operação. Apesar de já terem sido licitadas, as regiões da Zona Oeste — exceto Jacarepaguá, Barra e Recreio — e metade da Zona Norte ainda não tiveram o transporte regulamentado. A previsão da prefeitura é que todo o município esteja adequado ao novo sistema até o fim deste ano. 

Em Campo Grande%2C onde ainda não foi implementado o Sistema de Transporte Público Local%2C rua próxima à rodoviária fica repleta de vansFábio Gonçalves / Agência ODIA


Enquanto isso, as irregularidades continuam. Na Ilha do Governador, além de vans piratas, a circulação de kombis é livre. Na quarta-feira, O DIA esteve no bairro e flagrou kombis brancas, sem identificação, fazendo o mesmo itinerário de ônibus. Na Estrada do Galeão, na altura do número 1.300, em dez minutos, a equipe de reportagem contou a passagem de 11 vans e seis kombis no sentido aeroporto. “Aqui tem mais transporte irregular do que ônibus. Todo mundo pega porque é mais barato e passa toda hora”, declarou a secretária Fernanda Martins, 45 anos. A tarifa é R$ 3, R$ 0,40 a menos do que o ônibus.

O bairro de Campo Grande é outro reduto das vans irregulares. O ponto final delas fica perto da rodoviária. Por lá, até veículos do STPL, com a identidade visual oficial da prefeitura, circulam livremente, o que é proibido, pois o sistema ainda não foi implantado na região. Para a AP5 (Santa Cruz, Campo Grande e adjacências) estão previstas 72 linhas e 864 permissionários até o fim do ano.

O responsável pela Coordenadoria Especial de Transporte Complementar, Cláudio Ferraz, foi procurado pela reportagem para comentar os dois anos de funcionamento do sistema, mas limitou-se a prestar esclarecimentos através de nota. No documento, o órgão informou que a implantação está cumprindo os prazos estabelecidos pela Secretaria de Transportes. Mas de acordo com o diretor jurídico do Sindicato das vans (Sindvans), Guilherme Biserra, a promessa da prefeitura para regulamentar todo o município era o início do ano passado.

“A prefeitura está atrasada e não tem a preocupação em dar continuidade ao processo. Realizou as licitações, mas deixou o transporte parado e deficiente”, informou Guilherme, que estima mais de 10 mil vans ilegais circulando na cidade. 

Em nota, a coordenadoria informou que realiza fiscalização diariamente, mas admitiu que o trabalho fica prejudicado devido “a atuação de olheiros que são pagos para atrapalhar a fiscalização”. A implantação do STPL começou em maio de 2013, na Zona Sul. Ao longo daquele ano, foram feitas ainda as licitações para linhas em outras partes da cidade, mas grande parte desses concessionários não foi chamada. 

Circulação em Rio das Pedras

Proibida desde novembro de 2013, a circulação de vans em Rio das Pedras continua a todo vapor. Nesta semana, O DIA esteve na via principal do bairro, a Rua Engenheiro Souza Filho, e flagrou vans de várias regiões, inclusive da Zona Norte, fazendo transporte ilegal. Em meio aos veículos, havia até vans do STPL, oriundas de Jacarepaguá onde já existe o sistema. Nestes carros, motoristas improvisaram letreiros digitais no painel com a inscrição ‘Rio das Pedras’.

Em janeiro, O DIA já havia denunciado a circulação ilegal de vans no bairro e, na época, a coordenadoria prometeu intensificar a fiscalização. Em nota, o órgão informou que desde o início do STPL em Jacarepaguá, há dois anos, 1.737 veículos foram autuados em Rio das Pedras.

Nas linhas em operação, motoristas reclamam da falta de rentabilidade 

Em outubro de 2013, a Secretaria Municipal de Transportes e a Coordenadoria Especial de Transporte Complementar abriram licitação para 38 linhas de vans do Sistema de Transporte Público Local para a Zona Norte. Na época, a prefeitura informou que o processo seria concluído em três meses. Mais de um ano e meio depois, apenas 23 rotas foram implementadas (três devem começar a circular em junho) e os operadores reclamam que a maioria delas não se sustenta economicamente.

Os problemas enfrentados por motoristas e auxiliares revelam a precariedade do setor. “Mesmo as linhas licitadas estão capengas. A maioria roda vazia o dia todo, porque 90% dos trajetos vão de um lugar para ‘lugar nenhum’, principalmente porque fomos proibidos de passar por locais de BRT. Faltam permissionários e os itinerários são prejudicados por ruas sem saída ou íngremes demais, além de barreiras de bandidos e milicianos. Os operadores protocolaram novos itinerários na coordenadoria, mas continuam proibidos de circular nas rotas alternativas”, queixa-se um motorista que prefere não ser identificado.

Os aprovados na licitação das três linhas previstas para junho (Lins - Norte Shopping, Higienópolis - Maria da Graça e Triagem - Largo do Jacaré, via Rocha) foram convocados no dia 17 deste mês. A coordenadoria informou que toda a Zona Norte estará contemplada com o STPL ainda este ano. Segundo o órgão, algumas linhas foram revistas “por motivos especificados pelos próprios motoristas” em reuniões, como a pouca rentabilidade econômica. “Com relação ao número de linhas, permissões e itinerários, os motoristas já eram sabedores desde que deram entrada na inscrição para concorrer a uma das permissões. E sabiam também de todas as regras do edital”, frisou o órgão em nota, acrescentando que a prefeitura vem fazendo ajustes conforme identifica problemas. (Reportagem de Gustavo Ribeiro)

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia