Histórias que movem a vida

Conheça a história do morador de São Gonçalo, RJ, que teve a vida transformada por boas práticas ligadas ao transporte

Por gustavo.ribeiro

Desde pequeno, Saulo Scoponi, de 21 anos, é apaixonado por ônibus, mas não sabia que outras pessoas também gostavam tanto do assunto. Recentemente, o morador de São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio, foi convidado para participar de um projeto social para interessados no tema mobilidade. Funcionário de uma empresa de ônibus, ele é um dos jovens que contribuem com sugestões de melhorias para os transportes da cidade.

Saulo Scoponi%2C 21 anosDivulgação

A história de Saulo foi contada no projeto "Histórias que movem a vida", da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor). O objetivo deste projeto é compartilhar com a sociedade, através dos canais de comunicação da entidade, relatos de pessoas que tiveram suas vidas transformadas por iniciativas ou boas práticas ligadas ao transporte.

Tem uma história de vida influenciada pela mobilidade urbana? Saiba mais sobre o projeto 'Histórias que movem a vida' e envie seu depoimento 

Saulo faz parte do "Diálogo Jovem sobre a Mobilidade", outro programa da Fetranspor cujo objetivo é permitir que jovens de diferentes regiões do estado opinem e contribuam para o que pode ser transformado no setor. "Fiquei honrado e vi que essa oportunidade era o que eu estava esperando desde pequeno. Foi isso que abriu muitas portas pra mim", diz ele.

Como passageiro de ônibus, Saulo tinha várias ideias que poderiam ser implementadas pelas empresas de transportes para melhorar os serviços. "Nossos encontros geram resultados. Refletimos sobre a relação entre sociedade, rodoviários, empresas e poder público", conta o rapaz, cheio de entusiasmo. 

Atualmente responsável pelos projetos digitais de uma empresa de transporte do estado, o jovem criou um aplicativo de celular para facilitar a vida dos usuários de ônibus, com todos os horários de saídas, as tarifas e os itinerários. "O diálogo é a chave-mestra do processo. Os problemas, todos já conhecem, mas a gente busca as soluções. Não podemos esperar que elas venham apenas dos empresários, ou do governo, e nem dos clientes. Cada um tem a sua parte. E é isso que a gente está tentando fazer", afirma.

Diálogo Jovem

O "Diálogo Jovem" é composto por universitários e colaboradores do sistema, busólogos e estudantes da rede pública de ensino. Em 2014, cerca de 130 jovens entre 13 e 29 anos se dedicaram a mais de 300 horas de encontros presenciais, representando 12 municípios do Rio de Janeiro, 50 empresas de ônibus e oito sindicatos. Prduziram vídeos e jornais informativos, levaram sugestões a secretários de transportes, dialogaram com passageiros e empresários e participaram de outras ações interativas com a comunidade. Para 2015, o projeto busca novos formatos digitais e reconhecimento nacional e internacional.

"Apostamos no 'Diálogo Jovem' como forma de dar voz a um público especialmente observador, questionador e participativo. A cada ano fica mais evidente a importância do programa para o futuro da mobilidade e também das nossas empresas. Convido todos a juntarem-se a nós neste processo", diz o presidente da Fetranspor, Lélis Teixeira.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia