Luiz Martins: Consumidores e seus direitos

Nas relações comerciais, muitas vezes os consumidores são lesados

Por bferreira

Rio - Nas relações comerciais, muitas vezes os consumidores são lesados. Quando estes reclamam, podem não ser atendidos de maneira clara e satisfatória. Infelizmente, nem sempre a população sabe que existem meios para solucionar esses embates. Um dos mecanismos acessíveis é a Comissão de Defesa do Consumidor da Alerj.

No Rio, as cinco empresas que lideram o ranking das mais acionadas são: Oi, Cedae, Casas Bahia, Claro e Light. Apenas neste ano foram registradas mais de 6 mil reclamações. Muitos dos reclamantes buscam atendimento pelo telefone 0800-2827060 ou pelo endereço http://www.alerj.rj.gov.br/cdc/contato.htm, o que facilita o acesso. Os casos que não são solucionados acabam parando na porta do Tribunal de Justiça.

No Brasil, 70% das ações impetradas no Juizado de Pequenas Causas são relacionadas a cliente insatisfeitos. Isso revela que muito ainda deve ser feito para o cumprimento do Código de Defesa do Consumidor, tanto por parte de empresas e estabelecimentos quanto por parte dos usuários, que devem buscar o cumprimento da lei.

Se as empresas não cumprem o que determina o Código, devem ser punidas. Mas, para isso, devem ser questionadas e pressionadas. Em 2012, foram registradas mais de 26 mil reclamações de consumidores na Comissão. Entretanto, isso representa um pequeno percentual. Vejamos: 76% alegam que seus direitos de consumidor não são respeitados, mas apenas 5% deles reclamam, de acordo com resultado de pesquisa da EcGlobal, rede social de consumidores, com 1.108 internautas brasileiros.

Quando empresas e estabelecimentos sentirem a pressão de seus clientes pelo oferecimento de serviços e atendimento de qualidade, oferecerão ambos cada vez melhor para que não percam espaço no mercado.

Líder do PDT no Estado do Rio e presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Alerj

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia