Por tamyres.matos

Rio - Para valorizar o direito autoral e mostrar o quanto ele é importante para a manutenção da cadeia produtiva da música, o Ecad criou, em 2009, a campanha ‘Vozes em defesa do direito autoral. E que vozes!’. A ação foi pensada para mostrar que, assim como grande parte das pessoas vive de salário, muitos artistas da música são remunerados quase que exclusivamente pelo pagamento do direito autoral.

Embora o Ecad, em conjunto com as associações que o compõem, faça um trabalho intenso e constante de conscientização, muitos usuários de música, em especial aqueles que se beneficiam dela comercialmente, ainda se recusam a pagar os direitos autorais. O prejuízo da inadimplência entra na conta de milhares de criadores que produzem uma das mais belas manifestações culturais do país, que nos torna referência mundo afora, e que também, por isso, merecem ser recompensados pelo fruto de todo seu trabalho e esforço.

Desde então, ano a ano, a campanha ganha mais relevância e conta com reforços importantes. Atualmente já possui mais de 40 artistas participantes, entre eles Sorocaba, Victor Chaves, Roberto Menescal, Fagner, Alcione, Renato Teixeira, Fafá de Belém, Beth Carvalho, Tato, Sérgio Reis, João Roberto Kelly, Dudu Nobre, Martinho da Vila, Durval Lelys, D’Black, Dorgival Dantas, Aline Barros e Davi Sacer, que cederam sua imagem e soltaram a voz gratuitamente em defesa dos direitos autorais.

Os vídeos da campanha Vozes em Defesa do Direito Autoral estão disponíveis no site do Ecad (www.ecad.org.br) e também na página da instituição no YouTube (www.youtube.com/user/EcadDireitosAutorais).

Bia Amaral é gerente-executiva de Marketing do Ecad

Você pode gostar