Hélio Magarinos Torres Filho: Novo tipo do vírus da dengue

Foi anunciada a identificação de novo tipo do vírus da dengue, além dos já conhecidos de 1 a 4

Por bferreira

Rio - Foi anunciada em Bangcoc, durante a Terceira Conferência Internacional sobre Dengue e Febre Hemorrágica, a identificação de novo tipo do vírus da dengue, além dos já conhecidos de 1 a 4. Os pesquisadores, chefiados pelo dr. Nikos Vasilakis, da University of Texas Medical Branch in Galveston, EUA, relatam que o novo tipo está associado a um único surto da doença, ocorrido no Estado de Sarawak, na Malásia, em 2007, e suspeitam que a provável origem do vírus seja de macacos silvestres.

As implicações do surgimento de um novo tipo viral da dengue residem principalmente no desenvolvimento de vacinas e também nos métodos de diagnóstico laboratorial, uma vez que os até então disponíveis eram direcionados aos tipos 1, 2, 3 e 4. Sabemos que os tipos da doença não apresentam grandes diferenças em relação à virulência e patogenicidade, ou seja, as diferenças em relação à agressividade da doença são pequenas. No momento não existe motivo para maiores preocupações, pois ainda dependemos de novos estudos para saber a atual situação epidemiológica e as implicações clínicas relacionadas a este novo tipo de vírus.

Atualmente são registrados cerca de 390 milhões de casos da doença a cada ano. Um índice que já está superior em cerca de três vezes a expectativa da Organização Mundial de Saúde (OMS). Lembramos que o combate à dengue têm três pontos fundamentais: a erradicação do mosquito transmissor, através de ações coordenadas pelos órgãos de saúde pública, o apoio da população e o correto diagnóstico e tratamento precoce dos casos mais graves, para os quais a utilização de recursos adequados de análises é de fundamental importância. Como todos sambem, a dengue é um problema sério de saúde no Brasil. Só em 2013, 1,4 milhão de casos foram registrados, ocasionando 530 óbitos, sendo que dois terços dos casos (66,9%) ocorreram na região Sudeste.

Não podemos nos conformar com esta situação e temos de ativar as nossas consciências comunitárias.

Membro da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica do Rio e diretor médico do Laboratório Richet

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia