Editorial: Segurança de dados é fundamental

Esta semana, e-mails de diplomatas do Itamaraty foram violados após ataque cibernético

Por bferreira

Rio - Esta semana, e-mails de diplomatas do Itamaraty foram violados após ataque cibernético. O Ministério das Relações Exteriores não confirmou se dados sigilosos foram acessados, mas já se sabe que a invasão chegou ao Intradocs, rede por onde circula toda a comunicação dos funcionários, incluindo aí informações sensíveis. Ao que tudo indica, a brecha que permitiu a intrusão foi aberta por um ato banal — no jargão, um ‘phishing’, golpe relativamente simples que depende mais da desatenção de um usuário que da perícia do criminoso. O episódio acende um alerta para a vulnerabilidade dos sistemas de informação governamental, apesar dos ditos esforços pós-escândalo NSA.

Quando da revelação de que militares norte-americanos espionavam deliberadamente chefes de Estado, a presidenta Dilma Rousseff fez justa reclamação, cancelando visita oficial aos EUA e levando o caso à ONU — até porque descobriu-se que a Petrobras era um dos “alvos potenciais” do escrutínio sorrateiro. Quase nada mudou em relação à devassa da NSA, a não ser um insípido mea-culpa de Obama. No Brasil, porém, vociferou-se sobre desenvolver o próprio sistema de tecnologia da informação, sobretudo para proteger e-mails.

O ataque ao Itamaraty pode ser classificado como fatalidade decorrente de descuido, mas intriga saber por que não se travou a invasão de imediato — bastava uma segurança de média complexidade. É prudente rever esses mecanismos e se preparar para o pior, pois grupos de hackers se mobilizam para, na abertura da Copa, tentar desestabilizar redes do governo. Caso tenham êxito, o estrago será incalculável. Tão importante quanto garantir a integridade de delegações que vêm para o Mundial é proteger os dados e tudo o que estiver conectado.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia