Milton Cunha: Festa da Vendimia

Tudo lindo... aí vieram os protestos para desespero dos políticos que só queriam bônus, sem ônus...

Por bferreira

Rio - A diversão iguala a humanidade: não importa o grupo, rir é o melhor remédio. Encarando a noção de festa para além do significado mundano, temos a intuição de que na pré-história eles festejavam as chuvas e o tempo bom para a colheita. Agradecer os Deuses por ter água e sol na medida certa para que os grãos florescessem. Depois disso, estocariam a comida para aguentar o frio do inverno, para só depois semear novamente. Assim como aprendeu a esperar, ter paciência com os ciclos do planeta, os grupos também inventaram a grande festa de colher frutas e cereais. Alguns inclusive dizem que depois disso tudo surgiu a primeira noção de Carnaval enquanto celebração cíclica.

Fui assistir ao grande desfile da Vendimia 2015, a celebração da colheita de uvas e outras frutas na região dos vinhos que Mendonza (Argentina) é. Eu estava particularmente interessado em ver as Carrozas, que é como eles chamam os carros alegóricos.Pois bem, eles são caminhões gigantescos, frente e motoristas aparentes, nenhuma decoração, cujas enormes carrocerias estão enfeitadas, geralmente de parreiras e espetos no fogo verdadeiro, com o tradicional assado. Sobre tudo isto, Misses que disputam o título de Rainha da Vendimia daquele ano, um título super-respeitado e disputado. Todas em vestidos longos, passam sentadas em trono acenando com aquele adeuzinho que só mão de Miss sabe fazer. Ao lado delas, sempre os trajes típicos do lugar: gaúchos para eles e prendas para elas. A herança espanhola grita nesta hora das roupas femininas, são autênticas filhas do flamenco.

Começa às 10h da manhã, no que eles intitulam o Carrossel das Carrozas, com umas 50 desfilando, saindo do parque principal, no meio da cidade, percorrendo 10 quadras em linha reta até chegar a grande praça da Independência. Só que este ano, quando ia começar, vindos não se sabe de onde, umas mil pessoas marcharam na frente de tudo, protestando contra muitas coisas: o maior grupo pedia providências sobre a falta d’água na região, que já está em racionamento. Pedem a construção de diques e o impedimento de que grandes mineradoras se instalem lá. Depois, tinha grupo de parentes de vítimas da violência, funcionários públicos pedindo aumento, partido dos obreros (trabalhadores) exigindo mais respeito: ou seja, o troço começou animado, para desespero dos políticos que estavam defronte da avenida achando que só teriam bônus, sem ônus. Dançaram.

O mais lindo é que quando começa o desfile, as criancinhas levantam varas com cabo de vassouras e cestinhas na ponta, no alto, que elas mesmas fizeram, para que as uvas jogadas das carroças caiam dentro delas. O sonho dos menores impulsiona aquela vida de viver da terra, garantindo que futuras gerações mantenham a festa da Colheita.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia