Patricia Barreto Gavronski: O entrave do Back Office

A criação de uma empresa decorre da expertise do criador ou de profissionais que possuem identificação com o negócio

Por bferreira

Rio - A criação de uma empresa decorre da expertise do criador ou de profissionais que possuem identificação com o negócio. Contudo, empreender com eficiência não é tão fácil quanto parece, pois envolve o entendimento de várias outras áreas de gestão e suporte, essenciais para a sobrevivência e o fortalecimento da organização.

É fácil encontrar no segmento de vestuário empresários que conhecem seu público-alvo e entendem de moda. Ocorre que, para esta e qualquer outra empresa crescerem, o back office — ou a ‘retaguarda’ — precisa funcionar com eficiência. Destacam-se aí os departamentos financeiro, administrativo, contabilidade, jurídico e de RH.

A experiência de anos de consultoria nos mostra que os erros encontrados na gestão empresarial são recorrentes e se concentram na ineficácia de gerir processos, na falta de planejamento jurídico-tributário e na morosidade da contabilidade.

A gestão de processos deve ser analisada continuamente, com o objetivo de otimizar o número de colaboradores, ampliar a qualidade do serviço e reduzir custos desnecessários. No que tange ao planejamento tributário, com o cenário atual, o empresário que não despertar para a importância da elisão fiscal e para as estratégias jurídico-tributárias corre o risco de, além de não obter os benefícios fiscais disponibilizados por lei, pagar um valor excessivo de tributos, desperdiçando capital que poderia ser investido na empresa. Na contabilidade, é fundamental que o empresário tenha consciência de que sem uma conciliação bancária correta e sem o devido registro de todos os documentos que circularam diariamente na empresa é impossível realizar uma contabilidade fidedigna.

A fim de sanar esta carência do back office, mais especificamente nas pequenas e médias empresas, consultorias especializadas estão surgindo, com o objetivo de aperfeiçoar a retaguarda e gerar redução de custos para o empresário. Considerando que o custo para a prestação do serviço terceirizado é significativamente menor do que contratar funcionários especializados, o empresário deve estar atento.

Patricia Barreto Gavronski é sócia da MGV Consulting

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia