Por felipe.martins, felipe.martins
Rio - É legítima e necessária a revolta da comunidade artística contra a ausência de negros entre os indicados ao Oscar — resta saber se a grita, que promete até boicote à cerimônia, terá algum resultado. Pelo segundo ano seguido só se veem brancos na premiação dos melhores atores e atrizes, que, grosso modo, reproduz as escolhas da indústria. E esta ainda teima em se guiar por estereótipos. Como os mostrados hoje pelo DIA, na página 3: esponja ‘black power’ no ‘BBB’ e discriminação a religiões afro.
Presidente da Academia, Cheryl Boone Isaacs fez um constrangido pronunciamento sobre a questão, prometendo “mudanças”. Ainda que extraoficialmente se estabeleçam cotas nas indicações, a mudança de fato terá de ser feita não nos envelopes, mas nos estúdios. Os grandes realizadores precisam se mirar em nomes como Shonda Rhimes, que criou seriados de sucesso com negros como protagonistas, como ‘Scandal’.
Publicidade
É triste lidar com esses atrasos em 2016, quando deveria ser normal a inclusão.