Editorial: O lado bom da Reforma da Previdência

O brasileiro está vivendo mais e não pode, dentro dessa expectativa de vida estendida, pedir aposentadoria aos 50 e poucos anos de idade

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - A sociedade precisa discutir com afinco a Reforma da Previdência, conjunto de acertos vitais para que o país não quebre num futuro próximo. Do debate surgem boas ideias, vantajosas ao trabalhador, como a mostrada pelo DIA ontem: o bônus para quem começou a trabalhar cedo e terá de se aposentar um pouco mais tarde.

É inevitável adotar, universalmente, mecanismos como idade mínima e tempo de contribuição — ou a fórmula 85/95, que seja. O brasileiro está vivendo mais e não pode, dentro dessa expectativa de vida estendida, pedir aposentadoria aos 50 e poucos anos de idade.

Mas é injusto apenar aquele que entrou na labuta cedo, antes dos 20, obrigando-o a quase meio século de esforço. Nessa situação, o bônus acaba compensando.

O que não pode é o país ficar alheio ao debate e esperar que a solução caia de paraquedas. Ideias sempre serão bem-vindas e, com o bom senso de todos, o país saberá costurar a reforma sem sobressaltos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia