Técnico de enfermagem acusado de estupro é indiciado novamente

Imagens do circuito interno do hospital estão sendo analisadas pela polícia

Por tamyres.matos

Rio - O técnico em enfermagem Brivaldo Francisco Xavier Júnior foi indiciado pela Polícia Civil pela segunda vez acusado de estuprar uma idosa de 66 anos, que foi internada em duas oportunidades no Hospital Quinta D'Or, em São Cristóvão. Imagens do circuito interno do hospital estão sendo analisadas pela polícia.

Brivaldo se entregou à polícia na noite desta quinta-feira. Brivaldo compareceu à delegacia de São Cristóvão (17ª DP) com advogados e policiais. Houve um acordo entre as partes para que ele se entregasse. Ele é suspeito de estuprar duas mulheres, mas nega todas as acusações.

Técnico de enfermagem Brivaldo Xavier%2C acusado de estuprar duas pacientes%2C se entregou à políciaAndré Mourão / Agência O Dia

Segundo o advogado do funcionário do Quinta D’Or, Luiz Alberto Monteiro Shettino, a defesa entrará com um pedido para liberdade provisória para Brivaldo, caso seja negado será solicitado o habeas corpus. “Não há provas contra o Brivaldo. O procedimento que ele fez no quarto dos clientes foi perfeitamente normal”.

De acordo com o delegado titular da 17ª DP, Maurício Luciano de Almeida, existem provas suficientes para prender o funcionário do hospital. “Além do depoimento das duas vítimas, vamos pedir as imagens das câmeras do hospital para analisar a conduta dele com o pacientes. Esperamos também que com a divulgação do caso, outras vítimas venham a delegacia para prestar depoimento”.

De acordo com Luiz Alberto, Brivaldo estava em Cabo Frio, mas não estava fugindo da polícia. “Parentes dele o aconselharam que ele passasse um tempo lá para esparecer. Ele tinha medo de ser chamado de estuprador nas ruas”.

Brivaldo foi encaminhado para a Secretaria de Administração Penitenciária, onde será designado o presídio em que ele ficará preso provisioramente.

MP denuncia técnico

O Ministério Público (MP) denunciou, na quarta-feira, o técnico de enfermagem por estupro de vulnerável e requereu sua prisão preventiva. De acordo com a denúncia, Brivaldo fez “carícias íntimas” em uma paciente que se recuperava de uma cirurgia no CTI do Hospital Quinta D’Or, em São Cristóvão, e que, por isso, não poderia oferecer resistência.

Segundo a denúncia, as imagens do circuito interno do hospital mostram que Brivaldo, que não estava designado para atender a paciente, foi várias vezes ao leito da vítima. Em uma das ocasiões, ele se aproveitou do fato de a vítima estar sedada para acariciar seu corpo e fazê-la tocar as partes íntimas do denunciado.

Em outra, ele e uma técnica de enfermagem foram ao leito da paciente com o propósito de lhe dar banho, já que o protocolo hospitalar exige a presença de dois técnicos. Brivaldo, entretanto, pediu à técnica para que verificasse a prescrição médica, o que permitiu que ele ficasse por cerca de dez minutos sozinho com a vítima e praticasse outros atos libidinosos.

O documento mostra ainda que Brivaldo se dirigiu ao leito da vítima uma terceira vez e disse que “estava sonhando com o próximo plantão para retornar”. Ele foi denunciado duas vezes pelo crime de estupro de vulnerável e sua pena pode chegar a 15 anos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia