Tráfico fecha comércio na Baixada

Luto teria sido imposto por uma facção criminosa após possível morte de chefe de quadrilha

Por thiago.antunes

Rio - O comércio no entorno da Favela da Mangueirinha, em Duque de Caxias, teve que baixar as portas, entre a noite de quarta-feira e a manhã desta quinta, num sinal de luto forçado pela possível morte do bandido que chefiava o tráfico naquela comunidade e também na Vila Ideal e no Lixão, na mesma cidade da Baixada.

Michel Braz Gomes, o Michel Peitinho, teria sido morto por policiais que tentavam extorquí-lo. O corpo dele seria o de um homem achado carbonizado dentro de carro, quarta-feira, perto da Mangueirinha.

O fechamento teria sido ordenado por traficantes de uma facção criminosa e o comando do 15º BPM (Caxias) informou que aumentou o patrulhamento nas favelas.

Segundo o delegado Marcos Henrique de Oliveira Alves, da 58ª DP (Posse), que investiga a extorsão, somente com o exame da perícia será possível a identificação. “O laudo deve ficar pronto em 15 dias”.

Na quarta-feira, Michel e Rodrigo dos Santos Oliveira teriam sido atacados por grupo de PMs. Baleada, a dupla parou o carro onde estava. Naquele momento, o sargento Gerson Carvalho, do 3º Comando de Policiamento de Área (CPA), e o cabo do Bope Gabriel de Souza Sá Filho se desentenderam. Na confusão, Gabriel teria executado o colega de farda.

O cabo está preso e foi autuado por extorsão mediante a sequestro. Rodrigo segue internado no Hospital da Posse, em Nova Iguaçu.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia