STF decide que MP pode investigar concurso de petrolífera

Órgão tem atribuição para atuar em procedimentos para apurar irregularidades em prova da Petrobras

Por thiago.antunes

Rio - O Supremo Tribunal Federal reconheceu que o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro tem atribuição para atuar em procedimentos que apurem irregularidades em concurso público da Petrobras. A medida foi proposta pelo Parquet fluminense com a finalidade de solucionar conflito de atribuição existente com o Ministério Público Federal.

Na decisão, o ministro-relator Celso de Mello destacou que o plenário do STF tem reafirmado a competência do MP estadual para ajuizar ações civis públicas ou ações civis por ato de improbidade administrativa, "quando se tratar, como sucede na espécie, de suposto dano ou ofensa a bens, interesses ou serviços de economia mista".

Celso de Mello ainda mencionou o julgamento da ação originária 987, de relatoria da ministra Ellen Gracie, em que salienta que "a presença de sociedade de economia mista em procedimento investigatório não acarreta, por si só, a presunção de violação de interesse, econômico ou jurídico, da União".

Ao analisar o pedido, o ministro-relator destacou parecer da Procuradoria-Geral da República, no sentido de que, embora não se trate de crime, mas de supostas irregularidades em processo seletivo realizado pela Petrobras, a sociedade de economia mista não está arrolada no artigo 109 da Constituição, que trata da competência da Justiça Federal.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia