Ministério Público visita comunidade na Maré após ocupação do Bope

Moradores contam que foram vítimas de suposta represália imposta por policiais do batalhão

Por bianca.lobianco

Rio - O subprocurador-geral de Justiça de Direitos Humanos e Terceiro Setor, Ertulei Laureano Matos, compareceu, na terça-feira à tarde, na favela Nova Holanda, no Complexo da Maré, para averiguar a operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) na comunidade, que deixou nove mortos. Na ocasião, um sargento do Bope e dois moradores morreram durante confronto entre PMs e traficantes. 

O Ministério Público Estadual foi acionado pelos moradores, que alegaram que cerca de dez pessoas foram mortas em suposta represália imposta por policiais do batalhão. O subprocurador-geral se reuniu com representantes da comunidade e com a deputada estadual Janira Rocha, na sede da ONG “Observatório das Favelas”, logo após a ação da polícia.

O MP solicitou à Light que religasse a luz no local e manifestou a intenção de receber os representantes da comunidade, que contam terem sido vítimas de violência policial. A visita foi acompanhada pelo coordenador de Direitos Humanos, Márcio Mothé Fernandes.

“O Ministério Público se compromete a receber os representantes da comunidade que tiverem denúncias a fazer. O objetivo é reunir informações para, em seguida, tomar as providencias cabíveis”, afirmou Márcio Mothé. Os promotores estão à disposição dos moradores, mas por enquanto não há nenhuma reunião programada.

Dos seis feridos que foram socorridos no Hopistal Federal de Bonsucesso, três ainda encontram-se internados. Segundo a Light, três equipes estão na comunidade consertando os transformadores que foram danificados.

Enterro de morador

O corpo de Eraldo Santos da Silva, de 41 anos, morto durante tiroteio na Favela Nova Holanda, no Complexo da Maré, na Zona Norte, será enterrado nesta quarta-feira, às 16h, no Cemitério da Cacuia, na Ilha do Govermador.

O garçom foi um dos três moradores mortos em confronto que deixou outras seis vítimas fatais, entre elas o sargento do Batalhão de Operações Especiais (Bope) Ednelson Jeronimo dos Santos Silva, de 42 anos, e cinco suspeitos.

Na manhã desta quarta-feira, um blindado segue na frente da comunidade Nova Holanda, no 22ºBPM (Maré). A Força Nacional de Segurança está posicionada nos acessos à comunidade e a PM reforçou o policiamento na região.

 



Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia