Por cadu.bruno

Rio - Policiais do Batalhão de Choque começam a ocupar nesta sexta-feira a Favela da Mangueirinha, em Duque de Caxias, considerada uma das mais perigosas da Baixada.

"Trata-se da implantação de uma companhia destacada, com efetivo de 180 homens, a partir de segunda-feira. É claro que essa ocupação inicial vai continuar, já com apoio dessas comunidades", disse o tenente-coronel Ranulfo Brandão, comandante do 15º BPM (Duque de Caxias).

O comandante da PM, coronel Eri Ribeiro Costa Filho, informou que Caberá ao Choque o primeiro enfrentamento com grupos de traficantes que agem na Mangueirinha. Pelo planejamento da Secretaria de Segurança do estado, o Batalhão ficará na favela por 30 dias, preparando a ocupação permanente, numa espécie de UPP.

A ocupação, que será a primeira desse tipo na Baixada Fluminense, foi confirmada nesta quinta ao DIA pelo governador Sérgio Cabral. “Estamos entrando para ficar”, disse.

Ele explicou, no entanto,que o modelo não será o mesmo das UPPs adotado em favelas cariocas. “Será possivelmente uma companhia, como é na Chatuba, na Camarista Méier, no Morro Azul, no Flamengo, e duas em Macaé. É a presença permanente da polícia”, explicou Cabral;

O coronel Eri Ribeiro disse que o modelo poderá se repetir em outras favela da Baixada. “Tenho certeza que o trabalho vai levar paz à região e vamos analisar com a Secretaria de Segurança a instalação de outras companhias na Baixada”, afirmou o coronel.

Segundo o prefeito Alexandre Cardoso, os policiais do Choque serão substituídos por outros 180 de uma companhia da Polícia Militar, que ficarão permanentemente na favela. Ele confirmou que a ocupação será permanente, mas não seguirá o modelo tradicional das UPPs, mas o das companhias instaladas usados em favelas da capital e do interior do estado.

O prefeito de Duque de Caxias informou ainda que nest sexta à tarde, por volta das 15h, irá à favela acompanhado de secretário e funcionários da prefeitura. O objetivo é iniciar uma especial de ocupação social, com oferta de serviços públicos. Os primeiros serão os de limpeza urbana, iluminação e conservação.

Além disso, em parceria com a Unigranrio, serão oferecidos aos moradores serviços de saúde, assistência social e jurídica. Há previsão de ofertas de cursos de especialização e de noções de empreendedorismo.

Você pode gostar