Por raphael.perucci

Rio - O governador Sérgio Cabral afirmou, neste domingo, horas depois da ocupacação das favelas do Complexo do Lins, que a implantação de uma UPP na Maré já tem data para acontecer, "Estamos caminhando passo a passo e formando policiais militares. Vamos ocupar a Maré no primeiro trimestre ou quadrimestre de 2014", disse. Cabral, que esteve no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Praça XI, anunciou que comunidades já pacificadas vão receber investimentos de mais de R$ 500 milhões em breve.

Ao ser perguntado sobre as investigações do caso Amarildo, que levaram 10 PMs para a prisão, o governador repudiu a condutos dos agentes acusados de envolvimento no crime. "O caso Amarildo nos mostra que esse tipo de investigação só pode ocorrer quando uma comunidade está pacificada. Quantos crimes ficaram impunes antes da chegada da polícia nos morros. Eu lamento a conduta desses policiais, que foi abominável, mas, sem dúvida, essa não e a marca da UPP."

Forças de segurança hasteiam bandeira no Complexo do LinsDivulgação



Ainda no CICC, a cúpula da Segurança Pública concedeu uma entrevista para falar sobre o balanço da operação no Lins. Sobre a UPP da Maré, o secretário José Mariano Beltrame não confirmou o prazo informado por Cabral.

Ocupação no Lins sem confrontos

A operação para a ocupação das 13 comunidades do Complexo do Lins e Camarista Méier, na Zona Norte, teve início na manhã deste domingo. A ação para a implantação de duas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) começou por volta das 6h e as comunidades foram recuperadas pelas forças policiais sem confronto com bandidos. No total, 15 mil pessoas serão beneficiadas diretamente.

A Polícia Civil ocupou o Morro do Encontro em apenas 25 minutos e vai permanecer no local até a manhã de terça-feira, quando os homens do Batalhão de Choque da Polícia Militar devem chegar à comunidade. A polícia continua nas comunidades da região em operações de buscas de criminosos, apreensão de armas, drogas e objetos roubados.

Criança tira foto com policial em cima de cavalo após ocupação em favela do LinsFernando Souza / Agência O Dia


Com a presença de vários moradores e crianças, as bandeiras do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil foram hasteadas na localidade do Largo do Jacaré, na Favela da Cachoeirinha. Uma unidade móvel da Defensoria Pública do Rio foi instalada em frente ao Hospital Marcílio Dias para atender aos moradores e registrar possíveis casos de abuso policial.

Viatura da Marinha bate em ponto de ônibus

O único incidente durante a ocupação do complexo foi uma viatura blindada da Marinha que colidiu com um ponto de ônibus provisório construído na entrada do Morro da Cotia. Com a batida, a estrutura do ponto de ônibus desmoronou em cima do blindado e os militares tiveram que retirar o concreto para sair do veículo. Um sargento que estava no ponto de ônibus sofreu ferimentos leves causados pela queda da estrutura e foi levado para o Hospital Naval Marcílio Dias. Ele passa bem.

Operação de ocupação usou blindados no LinsFernando Souza / Agência O Dia




Você pode gostar