Rocinha e Complexo do Alemão vão ganhar delegacias

Unidades da Polícia Civil ficam prontas nos próximos meses nas favelas

Por thiago.antunes

Rio - A Rocinha e o Complexo do Alemão vão ganhar duas delegacias exclusivas para atender as ocorrências da comunidade. As unidades fazem parte de um projeto da Polícia Civil de implantar delegacias em áreas com Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). A da Rocinha, primeira a funcionar dentro de uma favela, deverá começar a atender o público em dezembro ou, no máximo, janeiro. Já a do Alemão será inaugurada até março.

As unidades serão construídas nos moldes da delegacias legais e cada uma terá 40 policiais, sendo dois delegados. “Nós percebemos que aqueles territórios agregavam um número expressivo de pessoas, muitas vezes maior do que o de alguns municípios do interior já contemplados com uma delegacia. A presença na comunidade trará conforto aos moradores para registrar outros crimes”, disse a chefe de Polícia Civil, Martha Rocha.

Martha avisou que haverá núcleos de atendimento à mulher nos locaisMaíra Coelho / Agência O Dia

Segundo ela, toda vez que uma comunidade é pacificada, há um aumento do número de registros de violência contra a mulher nas delegacias dos bairros. Por isso, as novas unidades terão um núcleo de atendimento para elas. “Elas passam a buscar esse registro, evitando uma nova agressão”, explicou ela.

Martha negou que os últimos confrontos na favela sejam o motivo de eleger a Rocinha para abrigar a delegacia. Segundo ela, a facilidade de já haver local praticamente pronto para abrigá-la foi definitivo na escolha. As obras do prédio-sede começaram ontem. A delegacia ficará no imóvel onde está o Centro de Educação à Distância do Estado do Rio, ao lado do Complexo Esportivo da favela, que será transferido para o Ciep ao lado.

“Como vamos pegar um prédio muito bom com apenas dois anos de existência, serão necessárias poucas obras. Se tudo der certo, a minha vontade é que já haja plantões no Natal e Ano Novo”, espera ela. Questionada se os moradores terão medo de ir lá fazer denúncias, Martha disse ainda que a Polícia Civil não depende da colaboração de moradores para combater o tráfico. Nesta quinta-feira uma equipe do Grupo Executivo Delegacia Legal visitará a estação do teleférico da Itararé para analisar se o local é capaz de abrigar a delegacia do Alemão.

Martha anunciou ainda que, até a metade do ano que vem, as delegacias de homicídios da Baixada e de Niterói vão ganhar, cada uma, 150 policiais, sendo 10 delegados.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia