Casamento gay coletivo reúne 130 casais no Rio

União civil homoafetiva aconteceu no Tribunal de Justiça, com a presença de familiares e amigos

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - A maior cerimônia coletiva de casamento civil entre pessoas do mesmo sexo do mundo. Assim afirmaram os organizadores da união de 130 casais homossexuais na tarde deste domingo, no auditório da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (EMERJ), no prédio do Tribunal de Justiça, no Centro do Rio. Com salão lotado de familiares e amigos, a cerimônia foi realizada, às 15h, pelas juízas Rachel Chrispino e Rachel de Oliveira.

O superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos e coordenador do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, Cláudio Nascimento, idealizador do projeto, comemorou a realização desta que foi a primeira cerimônia coletiva de casamento homoafetivo no Brasil.

Joyce Assis%2C 27%2C e Gabriele Costa%2C 21%2C se beijam durante a cerimônia. Elas%2C que já moravam juntas há dois anos%2C agora comemoram estabilidadeCarlo Wrede / Agência O Dia

“No perfil dos casais, 72% deles têm mais de quatro anos de união. Isso ajuda a desfazer argumentos preconceituosos sobre as relações homoafetivas por parte de fundamentalistas e alguns políticos e religiosos, que tratam nossas relações como frágeis, pueris, frívolas e inconsistentes. Para eles, está aqui a resposta com estes dados”, afirmou.

O coordenador do programa Rio Sem Homofobia enfatizou ainda a preocupação com a questão social. Segundo ele, 33% dos casais ganham até um salário mínimo, não têm renda ou estão desempregados. Disse ainda que o rendimento médio de 66% deles é de um a dois salários mínimos. “Isso nos desafia a buscar estratégias de inclusão social para estas famílias. Queremos agora, com este direito adquirido, incluí-los nos programas sociais existentes como o Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida e as demais políticas de seguridade social”, planeja Nascimento.

Os desembargadores do TJ-RJ Cristina Gaulia e Cláudio Dell’orto estavam entre os presentes na solenidade.

Conquista de direito é celebrada

O aposentado Marcos Lopes, de 46 anos, pai de três filhos e avô de um menino de 2 anos, fruto de um casamento hétero de 12, casou-se ontem com o ascensorista Josué dos Santos, de 40. Juntos também há 12 anos, eles dizem que conquistaram um direito que consta na constituição federal. “Direito que nos tinha sido negado. Meu filho de 24 anos foi criado por nós e só saiu de casa para se casar, me dando um neto lindo”, relata Marcos. As autônomas Joyce Assis, 27, e Gabriele Costa, 21, estão juntas há dois anos. “Agora podemos fazer planos. Afinal, sabemos que tudo que construirmos juntas será nosso por direito”, diz Joyce.

Belford Roxo: 6ª Parada Gay reúne 50 mil

Em Belford Roxo, no bairro Areia Branca, aconteceu, neste sábado, a 6ª Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais). Cerca de 50 mil pessoas foram embaladas, desde as 13h, por música eletrônica, pop e MPB mixadas por DJs a bordo de sete trios elétricos. O evento teve distribuição de folhetos com dicas de saúde e de camisinhas masculinas e femininas.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia