Hospital do Andaraí sofre com falta de médicos, remédios e roupa de cama

Nesta segunda-feira, o vereador Paulo Pinheiro e o deputado federal Chico Alencar farão vistoria no local

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - Nos leitos, não há roupas de cama. No teto, sobram rachaduras e goteiras. Na cozinha, a comida é de má qualidade. E, para piorar, nos fins de semana faltam médicos. O panorama caótico se passa em uma unidade que já foi referência no Rio: o Hospital Federal do Andaraí. Nesta segunda-feira, o vereador Paulo Pinheiro e o deputado federal Chico Alencar farão vistoria no local.

Na tarde deste sábado, a tenda que fica no pátio do hospital para atendimentos emergenciais de baixa complexidade estava fechada devido à falta de profissionais. Um vigilante orientava os pacientes a procurarem a UPA da Tijuca. O mesmo acontecia na seção que recebe pacientes vítimas de traumas. “Se chegar alguém em estado grave, não sei como vai ser, pois não há médicos”, disse um funcionário.

Paciente que não quis se identificar conta que é obrigada a comprar o próprio remédio%2C em falta na unidadeBeatriz Salomão / Agência O Dia

Quem tem parentes internados no Andaraí precisa levar roupas de cama, pois a unidade está sem há cerca de três meses. Faltam inclusive roupas para médicos, o que levou à suspensão de diversas cirurgias na unidade. A empresa que fornece os materiais não recebeu pagamento e suspendeu o serviço, há três meses. Segundo funcionários, o Hospital Federal de Ipanema está ‘doando’ as roupas.

A auxiliar administrativa Vanda Rocha, 46 anos, conta que leva lençóis e cobertores de casa para a mãe, Maria das Nevez, 75, internada por complicações do diabetes. Ela conta ainda que é comum a comida vir estragada e até com bichos. “É absurdo eu ter que lavar roupas de hospitais na minha casa, correndo o risco de contaminação”, disse.

Já uma paciente de 54 anos, que não quis se identificar, disse ter sido obrigada a comprar o próprio remédio, pois não havia na unidade. Em tratamento contra hipertensão, ela conta que não há médicos no hospital à noite e que, nos fins de semana, o número de profissionais cai. Ontem, por volta das 15h, ainda não havia passado ninguém no quarto para aferir a pressão arterial dela.

Ninguém do Ministério da Saúde foi encontrado pelo DIA para falar sobre o hospital.

Deputado e vereador fazem vistoria

?NEsta segunda-feira, às 11h, o vereador Paulo Pinheiro e o deputado federal Chico Alencar farão vistoria no Hospital do Andaraí. A visita foi planejada após denúncia de parente de paciente. Segundo o vereador, que integra a Comissão de Saúde da Câmara, o caos na unidade dura mais de dois anos. “Se eu fosse gestor federal, sentiria vergonha por causa do hospital do Andaraí. A unidade sempre foi referência, mas hoje a situação é gravíssima”, declarou Paulo Pinheiro.

O vereador conta que há problemas no Centro de Tratamento de Queimados, referência no estado, na emergência e nas enfermarias. Não é raro ver macas embaixo de vazamentos no teto. De acordo com ele, as obras realizadas no hospital estão atrasadas e faltam leitos de CTI.

“Parece o ditado ‘obra de igreja’, mas no caso do Andaraí, falta o dízimo para que elas sejam concluídas”, disse.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia