Por thiago.antunes

Rio - Câmeras escondidas instaladas em agosto em pontos estratégicos do Morro dos Prazeres, em Santa Teresa, identificaram a ação de traficantes que faziam das escadarias da comunidade bocas de fumo. As imagens, depois de confrontadas com fotografias do banco de dados do Portal de Segurança do Estado, permitiram à Justiça emitir dez mandados de prisão preventiva e 15 de busca e apreensão. Seis mandados já foram cumpridos pela Operação Concórdia, realizada nesta sexta-feira na comunidade. Três outros traficantes foram detidos em flagrante, e três menores que participavam do esquema foram apreendidos.

A ação conjunta entre 150 homens do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público e da PM desarticulou a quadrilha, que agia na localidade conhecida como Beco do Agnaldo, além de apreender uma arma e farto material de endolação.

Os policiais foram recebidos a tiros, mas não houve feridos. Segundo o chefe da Coordenadoria de Inteligência da PM, tenente-coronel Antônio Goulart, a ‘boca’ faturava até R$ 8 mil por dia. Por atuar a poucos metros da sede da UPP local, instalada em fevereiro de 2011, o grupo agia de forma discreta, sem ostentar armas. Foram os próprios PMs que identificaram a irregularidade.
O ‘cardápio’ de drogas era extenso. Cocaína, crack, maconha, LSD e haxixe eram vendidos dentro de sacos plásticos para que não se levantassem suspeitas. “Adolescentes eram mão de obra preferencial da quadrilha, por não ficarem muito tempo apreendidos e retornarem logo aos crimes”, revelou o promotor Décio Alonso.

O momento da venda, registrado pelas câmeras escondidasReprodução Vídeo

Imagens capturadas mostram crianças circulando em meio a bandidos. Cláudio Augusto dos Santos, o Jiló, apontado como chefe do bando, e contra quem pesavam três mandados de prisão, já havia sido preso em 29 de outubro. Matheus Bernardo, Fabrício Antunes Saldanha, os irmãos Bruno e Marcos Aurélio Marcondes Bertholdo, e Alessandro de Lima completam a lista dos mandados cumpridos. Todos eles seriam comandados pelo traficante Marco Antônio Pereira Firmino da Silva, o My Thor, preso na Penitenciária Federal de Catanduvas, no Paraná.

Novas diligências serão realizadas para cumprir os quatro mandados pendentes, contra Israel da Silva, Diogo Santos Barbosa, Fábio Santos de Lima e Brulaine Silva dos Santos. Ela, que é conhecida como ‘filha do My Thor’, pela suposta intimidade com o chefe do tráfico, conseguiu escapar.

Bando roubava em ônibus

Vinte pedras de crack, 1.221 papelotes de cocaína, R$ 601 em dinheiro, uma pistola calibre 40 mm com numeração raspada, celulares, relógios e cordões também foram apreendidos pela Operação Concórdia. A quadrilha que atuava no Beco do Agnaldo endolava e vendia os entorpecentes. Alguns de seus integrantes também realizavam assaltos a ônibus, o que, segundo a polícia, justifica o alto número de aparelhos telefônicos e objetos pessoais de valor.

Material apreendido com um homem e três menores nos PrazeresDivulgação

De acordo com o tenente-coronel Antônio Goulart, as ações serão voltadas agora a identificar aqueles que estruturam e fomentam o tráfico na região. O chefe da Divisão de Inteligência da Coordenadoria de Polícia Pacificadora, Rogério Figueiredo, garantiu que a luta contra o crime não cessará. 

”Todos têm consciência da resistência do tráfico em regiões pacificadas. Não podemos baixar a cabeça. Continuaremos identificando criminosos e enfraquecendo as estruturas, de forma conjunta”, disse se referindo ao apoio do MP. Agentes dos Batalhões de Operações Especiais (Bope) e de Ações com Cães (BAC) participaram da ação, que contou com 25 carros e um helicóptero.

Você pode gostar