Por tiago.frederico

Rio - A Time For Fun, empresa responsável pela turnê do Cirque du Soleil no Brasil, disse, neste sábado, em nota, que tomará as medidas legais cabíveis contra o embargo do Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) ao evento na Marina da Glória, que, segundo a empresa é "injustificado".

Procurada pela reportagem, ela se mostrou surpresa com com a postura, que considera "inédita e arbitrária, há uma semana da estreia do espetáculo cultural, anunciado há vários meses". Em nota, a Time For Fun disse que "já realizou outros dois espetáculos da companhia canadense no local (Quidam e Varekai)" e que, na época, o órgão não se opôs.

A Time For Fun não concorda com a argumentação de que o público é acima do permitido, pois, segundo ela, "a capacidade máxima do espetáculo é de 2700 pessoas, sendo um público estimado de 1350 pessoas por dia". Ainda em nota, a empresa lembrou que "em 2013 foram realizados eventos no local (autorizados pelo Iphan) com público superior a 5 mil pessoas, a saber: Planeta Skol - 8000 pessoas; Ousadia e Alegria - 10.000 pessoas; Fashion Rio - 4350 pessoas; Só para Contrariar - 8000 pessoas".

A lona do circo já está montada na Marina da Glória%2C que é um bem público e tombado pelo IphanMárcio Mercante / Agência O Dia

O espetáculo ‘Corteo’, do Cirque du Soleil, na Marina da Glória foi embargado por decisão do superintendente do Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Ivo Matos Barreto Júnior. A temporada começaria na sexta-feira, dia 27, porém, segundo o ofício enviado por Matos à empresa Time For Fun, que administra os interesses do circo no Brasil, a ocupação da Marina para tal finalidade ‘não é possível de se admitir’.

‘Entendemos que o uso proposto é inadequado ao espaço pleiteado, atraindo um número excessivo de pessoas...Isto posto, a proposta pretendida fica indeferida’, relatou Ivo Matos, lembrando que a Marina da Glória faz parte do Parque do Flamengo e é um bem público da União tombado pelo Iphan. O DIA procurou a Time For Fun e não obteve resposta sobre o que será feito para devolver o dinheiro pago — R$ 240 por cada ingresso na promoção, pois o valor original é de R$ 400 — a quem comprou os tíquetes.

A Marina teria sido alugada ao Cirque du Soleil pela administradora BR Marinas, que teria assumido o controle da concessão da empresa REX, do empresário Eike Batista. Lojistas e usuários da Marina da Glória afirmam que a REX continua responsável pelo local. O DIA também entrou em contado com o Grupo EBX, de Eike Batista, e com a BR Marinas, mas, infelizmente, não obteve resposta.
O espetáculo ‘Corteo’ conta com 60 artistas em cena, e o show já foi visto por mais de 7 milhões de pessoas em 12 países. Na turnê atual, estão previstas apresentações no Rio e em Porto Alegre, além de Córdoba e Buenos Aires, na Argentina. A lona do circo já está montada na Marina da Glória. O superintendente do Iphan alertou no ofício que poderá entrar com uma ação civil pública na Justiça contra as alterações.

Você pode gostar