Por karilayn.areias

Rio - Quatro assaltantes foram presos depois de roubar duas casas em um condomínio de luxo na Rua Lopes Quintas, 977, no Jardim Botânico, Zona Sul, por volta das 21h de segunda-feira. O bando invadiu o local - que conta com vigilantes e câmeras de segurança - pela mata.

Na primeira residência, que estava em obras, amordaçaram, amarraram e agrediram a coronhadas o caseiro. No segundo imóvel, fizeram um casal e dois filhos de reféns. Ao tentar escapar com o carro de uma das vítimas, eles foram surpreendidos por PMs do 23º BPM (Gávea), que atiraram nos pneus do veículo em fuga. Os bandidos bateram com o carro e foram presos sem reagir.

Fachada do condomínio da Rua Lopez Quintas%2C no Jardim Botânico%2C que foi assaltado por quatro bandidos Osvaldo Praddo / Agência O Dia

Armados com duas pistolas e um revólver, a quadrilha agiu com violência contra o caseiro da primeira residência. Do local, segundo a polícia, não teriam levado nada, porém, enquanto saqueavam a segunda casa, recolhendo dinheiro, joias e eletrodomésticos, ameaçavam matar os reféns. O caseiro conseguiu se libertar, acionou a segurança do condomínio que avisou à polícia sobre a ação. Foram presos Júlio Cesar Pereira dos Santos, de 44 anos; Bruno de Azevedo Silva, de 19; Rafael da Silva Batista e Fabiano Alves Marques, ambos de 31 anos.

Segundo a delegada Juliana Montes, da 14ª DP (Leblon), os quatro foram agressivos com as vítimas e foram indiciados por roubo qualificado - porque mantiveram reféns - formação de quadrilha e porte ilegal de arma. Júlio Cesar é foragido do sistema penitenciário e usava uma tornozeleira eletrônica quando foi preso. Outros dois assaltantes têm passagem pela polícia por roubo e tráfico de drogas. O bando é da Favela Cerro Corá, no Cosme Velho, na Zona Sul.

Ainda de acordo com a delegada, eles podem pegar mais de dez anos de prisão. Todo o material roubado foi recuperado. A Polícia Civil instaurou inquérito, pois há a suspeita de participação de outros criminosos na quadrilha que, segundo as vítimas, agiu friamente o tempo todo. Muito abalados, os moradores foram medicados com calmantes e apenas o dono da segunda casa conseguiu prestar depoimento.

Você pode gostar