Por tabata.uchoa

Rio - No lugar das filas, o calor. Os turistas e cariocas que resolveram visitar o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor ontem já não viram as imensas filas dos últimos dias, mas não puderam fugir da sensação térmica de quase 40 graus.

A fila do bondinho teve seu ápice por volta das 10h, quando a espera chegou a durar uma hora. De acordo com funcionários, alguns turistas chegaram até a ter um breve desmaio pela falta de hidratação, mas foram prontamente atendidos.

Turistas que foram visitar o Pão de Açúcar enfrentaram uma sensação térmica de 40 grausSeverino Silva / Agência O Dia


O estudante Bruno Moura, 22 anos, enfrentou a fila do bondinho no início da tarde. Pela primeira vez no Rio e acompanhado de outros dois amigos de São Paulo, ele reclamou apenas da falta de informação. “Podia ter mais colaboradores. Só tem um funcionário na fila explicando como funciona a compra”, observou.

Com os preparativos para a virada do ano em Copacabana, o movimento de visitação tanto no Pão de Açúcar como nas vans das Paineiras estava abaixo do normal. No trem do Corcovado, o movimento era intenso, com muitos bilhetes comprados pela internet, mas tranquilo e diferente dos últimos dois dias, que tiveram filas imensas.

Dulcineia Liberato, 29 anos, e o marido Jonathan Liberato, 25 anos, vieram de Brasília passar as festas de fim de ano no Rio. Os dois não compraram os tíquetes pela internet e resolveram se arriscar na bilheteria perto das 13h30. Só conseguiram vaga para as 16h.

“Tenho curiosidade por tudo que as pessoas sempre falam. Só por isso a gente aguenta esse calor por três horas ”, afirma ela. O bondinho fechou às 17h50 por causa de uma festa de Réveillon no Morro da Urca, mas hoje o funcionamento é normal. O trem do Corcovado e as vans das Paineiras operam normalmente.

Você pode gostar