Por tamyres.matos

Rio - A Secretaria Municipal de Saúde vai contratar, por R$ 108 milhões, a Organização Social (OS) Ação MedVida — a instituição não foi aceita pela Secretaria Estadual de Saúde e, em novembro de 2012, teve um contrato rompido pela Prefeitura de Maricá.

Um dos fundadores da MedVida é o pastor Adenor Gonçalves dos Santos, controlador do Grupo Galileo Educacional, dono da Universidade Gama Filho e da UniverCidade, que passam por uma longa crise. O site do MedVida traz livros e artigos do empresário.

Informações

Com base na Lei de Acesso à Informação, o vereador Paulo Pinheiro (Psol) protocolou na Prefeitura do Rio pedido de esclarecimentos sobre a contratação da MedVida, sua ligação com o Galileo e sua atuação em Maricá.

Chamamento

Vencedora de um chamamento público feito pela Prefeitura do Rio, a MedVida vai gerenciar, por dois anos, 125 leitos no antigo Hospital São Bernardo, na Barra, depois transformado em hospital da Gama Filho.

Sistema de saúde

Em março de 2012, a Secretaria Municipal de Saúde incluiu o hospital da UGF no seu sistema de saúde. O projeto não foi adiante.

Experiência

Para comprovar experiência em serviços públicos de saúde e ser homologada como OS no Rio (o que ocorreria em julho de 2012), a MedVida citou o trabalho em Maricá.

Desastre

Mas a experiência foi desastrosa: o contrato acabou rompido por falta de prestação de contas e atrasos no pagamento de funcionários. A prefeitura criou comissão para apurar danos aos cofres públicos. Há suspeita de desvio de equipamentos.

Você pode gostar